Separatistas pedem reunião urgente com Ucrânia

Denis Pushilin afirmou que os representantes separatistas em Donetsk e Lugansk estão dispostos a "viajar para Minsk nos próximos dias e trabalharem"

Moscou - Os separatistas pró-Rússia pediram nesta quinta-feira uma reunião urgente com a Ucrânia em Minsk, com a mediação da Rússia e da OSCE, para a regulação do conflito, em meio a escalada de tensão entre as forças do governo e as milícias rebeldes.

"Insistimos que o Grupo de Minsk deve se reunir imediatamente com a participação de representantes da OSCE, da Ucrânia e da Rússia", disse Denis Pushilin, negociador da autoproclamada república popular de Donetsk, em comunicado divulgado por agências russas.

Pushilin afirmou que os representantes separatistas em Donetsk e Lugansk estão dispostos a "viajar para Minsk nos próximos dias e trabalharem".

"Qualquer tentativa de regular o conflito sem a participação das repúblicas populares de Donetsk e Lugansk será inútil e levará inexoravelmente o processo negociador a um beco sem saída", disse.

Ele confirmou que os rebeldes se mantêm fiéis "ao formato de Minsk com participação da Rússia, da OSCE, das repúblicas de Donetsk e Lugansk, e também da Ucrânia".

Recentemente os separatistas pediram uma revisão do mecanismo de controle dos acordos de paz de Minsk com o argumento que a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) não pôde garantir o cessar-fogo declarado em 5 de setembro.

A acusação do comando militar ucraniano de que os rebeldes estão preparando uma ofensiva em grande escala para reconquistar territórios nas regiões de Donetsk e Lugansk foi negada.

As forças de Kiev decidiram reagrupar suas forças na região e mobilizar os reservistas.

A realização de eleições separatistas em Donetsk e Lugansk, no último dia 2, condenadas por Kiev e pelo Ocidente, e provocou o reatamento dos combates entre rebeldes e o exército ucraniano.

Depois de Estados Unidos e vários países europeus denunciarem a entrada de comboios militares com armamento pesado vindo da Rússia, o Conselho de Segurança da ONU advertiu ontem do risco de as atuais hostilidades derivarem em "combates em grande escala".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.