Sandy custou mais de 42 bilhões de dólares a Nova York

Os danos às propriedades e aos negócios foram piores do que com Katrina

Nova York - A supertempestade Sandy teve um custo de mais de 42 bilhões de dólares para Nova York, causando mais prejuízos que o furacão Katrina, disse o governador de Nova York, Andrew Cuomo, nesta segunda-feira, ao solicitar fundos de emergência federais.

Cuomo destacou em coletiva de imprensa que o impacto do Sandy foi, em algumas medidas, pior que o Katrina, que causou devastação em toda a Costa do Golfo dos EUA em 2005.

Apesar do número de mortos do Katrina, 1.833, ter sido muito maior que os cerca de 110 mortos durante a supertempestade Sandy no mês passado, os danos às propriedades e aos negócios foram piores dessa vez, disse o governador.

O total da conta em Nova York e na vizinha Nova Jersey é de "62, 61 bilhões de dólares" e este número deve aumentar ao incluir fundos extras para a prevenção, estimou Cuomo.

Apenas em Nova York, Cuomo disse que o custo total do trabalho de recuperação passou a U$32,8 bilhões, com U$9,1 bilhões em despesas de prevenção.

Pagar essa conta inviabilizaria o orçamento de Nova York, disse Cuomo, pedindo que Washington forneça ajuda federal.

Mais cedo, o prefeito da cidade de Nova York, Michael Bloomberg, disse que a maior cidade norte-americana teve gastos de U$19 bilhões relacionados à supertempestade.


A 'Big Apple' "vai penar para se recuperar a longo prazo, a menos que fundos federais sejam oferecidos," disse Bloomberg.

A supertempestade de 29 de outubro inundou o metrô, arruinou milhares de casas na região de Nova York e interrompeu a eletricidade em vários pontos da cidade durante dias, além de causar escassez de combustível.

Entre as principais vítimas de Sandy está a Estátua da Liberdade, que tinha acabado de ser reaberta depois de um ano de reformas e agora deverá ficar fechada até pelo menos o fim do ano.

O National Park Service disse em seu site que "ainda não foi estabelecida uma data de provável reabertura".

De acordo com o prefeito, o valor líquido dos reparos cairia para U$9,8 bilhões considerando os seguros particulares e a já prometida ajuda do Federal Emergency Management Agency (FEMA).

Contudo, "uma ação legislativa federal será necessária por causa do déficit orçamentário, após os fundos disponíveis do FEMA e os valores dos seguros serem sacados," disse.

"Este fundo será necessário por causa das significativas despesas locais passadas e futuras, incluindo custos que não são cobertos pelo FEMA como a mitigação de riscos, soluções de construção a longo prazo e restauração e proteção da costa."

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.