Rússia transforma maior usina nuclear da Europa em base militar

O exército russo está transformando a maior usina nuclear da Europa em uma base militar com vista para uma frente ativa
Guerra na Ucrânia: A nova infusão de armamento protege efetivamente a usina de um contra-ataque das forças ucranianas (Wikimedia Commons/Reprodução)
Guerra na Ucrânia: A nova infusão de armamento protege efetivamente a usina de um contra-ataque das forças ucranianas (Wikimedia Commons/Reprodução)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 08/07/2022 às 12:43.

Última atualização em 08/07/2022 às 12:45.

Na Usina Nuclear de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, mais de 500 soldados russos que tomaram a instalação em março recentemente implantaram baterias de artilharia pesada e colocaram minas antipessoal ao longo das margens do reservatório cuja água resfria seus seis reatores, segundo trabalhadores, residentes, funcionários e diplomatas ucranianos.

O exército russo está transformando a maior usina nuclear da Europa em uma base militar com vista para uma frente ativa, intensificando uma crise de segurança de meses para a vasta instalação e seus milhares de funcionários.

Já as forças ucranianas mantêm o controle sobre as cidades espalhadas na margem oposta, a cerca de 3 milhas de distância, mas não veem uma maneira fácil de atacar a usina, dado o perigo inerente de batalhas de artilharia em torno de reatores nucleares ativos.

A nova infusão de armamento protege efetivamente a usina de um contra-ataque das forças ucranianas e equivale a algo que a indústria de energia atômica cuidadosamente regulamentada nunca viu antes: a transformação em câmera lenta de uma usina nuclear em uma guarnição militar. Em um aspecto menos escrutinado de sua estratégia de guerra, o exército russo está diariamente posicionando o armamento em torno de uma usina nuclear que está entre as maiores do mundo, usando-a para cimentar o controle da linha de frente.

LEIA TAMBÉM: 

Assassinato de Shinzo Abe no Japão: o que se sabe até o momento