Mundo

Rússia pede diálogo para solucionar a crise diplomática com Catar

Declaração veio após Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iêmen e Líbia romperem relações diplomáticas com o Catar

Sergei Lavrov: a Rússia, que compartilha importantes interesses econômicos com o Catar, confia no respeito mútuo no diálogo entre as partes (Andrey Rudakov/Bloomberg)

Sergei Lavrov: a Rússia, que compartilha importantes interesses econômicos com o Catar, confia no respeito mútuo no diálogo entre as partes (Andrey Rudakov/Bloomberg)

E

EFE

Publicado em 5 de junho de 2017 às 14h25.

Moscou - O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, pediu que o chanceler do Catar, Mohammed bin Abdulrahman al Zani, esteja aberto ao diálogo para resolver a crise diplomática entre os países do Golfo Pérsico.

Seis países árabes - Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iêmen e Líbia - romperam relações diplomáticas com o Catar após culpar o país por "apoiar o terrorismo e o extremismo".

Lavrov ligou para Al Zani para expressar preocupação pelo surgimento de um novo foco de tensão no mundo árabe e solicitou que os países envolvidos no conflito se sentem para negociar e resolver suas diferenças, segundo comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores da Rússia nesta segunda-feira.

A Rússia, que compartilha importantes interesses econômicos com o Catar, confia no respeito mútuo no diálogo entre as partes.

O vice-chanceler russo, Mikhail Bogdanov, recebeu hoje o embaixador do Catar em Moscou, Fahad Mohammed al Attiyah, que expôs a postura de Doha a respeito da crise na região.

Ambas as conversas ocorreram por pedido do Catar, disse a Rússia.

Mais cedo, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, indicou que a Rússia não intervém em assuntos internos de outros países.

Acompanhe tudo sobre:Arábia SauditaCatarEgitoEmirados ÁrabesIêmenLíbiaRússia

Mais de Mundo

J. D. Vance: "vice de Trump é escolha fraca e quase não trará votos", diz analista

Serviço Secreto sabia do risco do telhado de onde atirador disparou contra Trump

Diretamente de Milwaukee, EXAME analisa Convenção Republicana; veja vídeo

Celso Amorim se reunirá com conselheiro de Segurança dos EUA na quarta-feira, em Washington

Mais na Exame