Recessão no Japão é ainda mais grave

O retrocesso em ritmo anual foi de 2,1%, contra 1,3% calculado inicialmente, anunciou o governo

Tóquio - A recessão da economia japonesa no segundo trimestre de 2011 foi mais severa que a estimativa inicial, poucos meses depois do terremoto e tsunami de 11 de março e em um contexto de desaceleração do crescimento mundial.

O Produto Interno Bruto (PIB) da terceira maior economia mundial registrou contração de 0,5% entre abril e junho na comparação com o trimestre anterior, contra 0,3% da primeira estimativa.

O retrocesso em ritmo anual foi de 2,1%, contra 1,3% calculado inicialmente, anunciou o governo.

Este é o terceiro trimestre seguido de contração da economia japonesa, provocada desta vez por uma queda das exportações.

As empresas acumulam problemas desde o tsunami que devastou a região de Tohoku (nordeste do arquipélago) e deixou 20.000 mortos e desaparecidos.

Além disso, a incerteza sobre o crescimento mundial, reforçada pelos problemas europeus de endividamento, podem limitar a magnitude da aguardada recuperação a médio prazo da economia japonesa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.