Quase 80% dos americanos temem perder o emprego em uma recessão

A constatação é de uma recente pesquisa da empresa de recursos humanos Insight Global, que também descobriu que 54% dos trabalhadores aceitariam um corte salarial se isso significasse manter o emprego
EUA: o mercado de trabalho permanece forte por enquanto, com a taxa de desemprego nos EUA prevista para ficar perto do menor nível em mais de 50 anos para o mês de junho (Spencer Platt/Getty Images)
EUA: o mercado de trabalho permanece forte por enquanto, com a taxa de desemprego nos EUA prevista para ficar perto do menor nível em mais de 50 anos para o mês de junho (Spencer Platt/Getty Images)
M
Maria Paula Mijares Torres, da Bloomberg

Publicado em 08/07/2022 às 13:25.

Última atualização em 08/07/2022 às 14:23.

Quase quatro em cada cinco trabalhadores nos Estados Unidos temem perder o emprego durante uma possível recessão, um sinal do alto nível de ansiedade entre os americanos com as perspectivas crescentes de uma desaceleração econômica.

A constatação é de uma recente pesquisa da empresa de recursos humanos Insight Global, que também descobriu que 54% dos trabalhadores aceitariam um corte salarial se isso significasse manter o emprego. Uma parcela semelhante não acredita que seu emprego seja à prova de recessão.

LEIA TAMBÉM: EUA cria 372 mil postos de trabalho em junho; taxa de desemprego fica em 3,6%

Um número crescente de economistas prevê uma recessão nos EUA nos próximos 12 meses, à medida que o Federal Reserve intensifica sua luta contra a inflação. Os aumentos de preços superam os ganhos salariais e prejudicam o poder de compra dos americanos, o que leva muitos a concluir que a crise já começou.

Apesar disso, o mercado de trabalho permanece forte por enquanto, com a taxa de desemprego nos EUA prevista para ficar perto do menor nível em mais de 50 anos para o mês de junho, quando os dados do governo serão divulgados na sexta-feira. As demissões estão em patamares historicamente baixos, apesar de anúncios isolados de cortes de empregos em empresas como Netflix e Tesla.

Mas os americanos têm boas razões para temer por sua segurança no emprego — quase nove em cada dez gerentes de empresas americanas disseram que “provavelmente” teriam de demitir funcionários durante uma recessão, segundo uma pesquisa realizada em junho.

Há sinais de que os trabalhadores já estão sendo pressionados. Os pedidos de seguro-desemprego nos EUA na semana passada subiram ligeiramente para o maior nível desde janeiro, sugerindo que a força do mercado de trabalho está diminuindo.

Cerca de 56% dos trabalhadores americanos dizem que não se sentem financeiramente preparados para uma recessão ou não sabem como se preparar para uma. Entre os grupos demográficos, as mulheres e os millennials se sentem mais inseguros.

LEIA TAMBÉM: Biden comemora payroll 'forte', mas espera desaceleração na criação de empregos