Propagação da variante Delta afeta retomada de restaurantes nos EUA

Cadeias como a McDonald's Corp e a Chick-fil-A estão retardando a reabertura das suas lojas por causa do avanço da doença

O aumento da propagação da variante Delta do coronavírus tem atrapalhado a recuperação de restaurantes e estabelecimentos de food service nos Estados Unidos. Cadeias como a McDonald's Corp e a Chick-fil-A estão retardando a reabertura das suas lojas por causa do avanço da doença, enquanto outras empresas reforçam o atendimento ao ar livre.

  • Quer saber tudo sobre o ritmo da vacinação contra a covid-19 no Brasil e no Mundo? Assine a EXAME e fique por dentro.

O retorno dos casos de covid-19 esbarra em uma cadeia que já vinha sofrendo um ano e meio de interrupções relacionadas à pandemia. As vendas, que haviam crescido de forma constante no início do verão, caíram nas últimas cinco semanas, de acordo com dados da empresa de análise de restaurantes Black Box Intelligence. Segundo levantamento do Departamento do Trabalho dos EUA divulgado no início do mês, bares e restaurantes perderam 41.500 empregos em agosto, a maior queda mensal de qualquer setor e o primeiro declínio do food service desde dezembro.

A Brinker International Inc., dona da Chili, disse no mês passado que a variante Delta começou a diminuir as vendas e que suas ações caíram 16% desde o início de junho. As ações da Dave & Buster's Entertainment Inc. perderam 18% e as ações da dona da Applebees, Dine Brands Global Inc., caíram 14% no mesmo período.

A Wendy's Co. disse aos investidores no mês passado que alguns de seus restaurantes estavam fechando durante parte do dia por causa da falta de pessoal, e apoiou as decisões dos operadores de fechar a parte interna das lojas, se necessário.

Na Chick-fil-A, onde as filas dos restaurantes se espalharam pelos estacionamentos durante a pandemia, a empresa sediada em Atlanta permitiu que os proprietários mantivessem as lojas fechadas, se desejassem. No mês passado, a rede estendeu essa opção até janeiro por questões de segurança, e a maioria dos restaurantes Chick-fil-A permanece fechada, disse um porta-voz da empresa.

A National Owners Association, um grupo de franqueados do McDonald's, disse à empresa em maio que alguns franqueados se sentiram pressionados pelos representantes corporativos locais do McDonald's para acelerar a reabertura de seus refeitórios no início do ano, de acordo com um e-mail que o grupo enviou a seus membros.

O McDonald's disse que a rede tem trabalhado em estreita colaboração com os franqueados para colocar o bem-estar dos funcionários do restaurante na vanguarda de sua tomada de decisão. O presidente da National Franchisee Leadership Alliance o grupo oficial de proprietários do McDonald's, Mark Salebra, disse que os operadores de restaurantes estão trabalhando com o McDonald's para garantir agilidade na abertura e no fechamento de lojas, de acordo com a contagem de casos locais da doença. A empresa está pedindo aos franqueados de áreas com altas concentrações de covid-19 que ofereçam apenas vendas para viagem.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também