Presidente de Israel defende Jerusalém como capital do país

Reuven Rivlin defendeu Jerusalém como capital unificada do país

Jerusalém - O presidente de Israel, Reuven Rivlin, defendeu nesta quinta-feira Jerusalém como capital unificada do país e advertiu que o governo protegerá por todos os meios sua segurança, após a tentativa de assassinato na noite de ontem do rabino Yehuda Glick, ativista ultranacionalista.

"Jerusalém é a capital do Estado de Israel e não podemos suportar o terrorismo que acontece nela", declarou Rivlin em reunião com deputados do Parlamento Europeu.

Rivlin felicitou as forças de segurança pelo "trabalho rápido e preciso" que realizaram esta manhã quando mataram a tiros Mutanaz Hijazi, de 32 anos, perseguido por seu suposto envolvimento na tentativa de assassinato de Glick.

"Deve-se continuar trabalhando sem descanso e se for necessário, com punho de ferro", contra quem atentar contra a segurança nesta cidade, condenou o presidente israelense.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.