Piloto russo da F1 Nikita Mazepin tem R$ 600 milhões bloqueados

Mazepin, 23 anos, corria pela equipe americana de F1 Hass até dia 5 de março, quando foi demitido como parte das sanções aplicadas contra a Rússia.
 (Exame/Exame)
(Exame/Exame)
Por Carlo CautiPublicado em 11/04/2022 10:50 | Última atualização em 12/04/2022 15:49Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O piloto russo da F1, Nikita Dmitrievich Mazepin, e seu pai, o oligarca Dmitry Arkadievich , foram afetados diretamente pelas sanções decretadas pela União Europeia contra a Rússia após a invasão na Ucrânia .

A polícia tributária italiana bloqueou bens do piloto de F1 e de seu pai por um valor de 105 milhões de euros (cerca de R$ 600 milhões).

Um inteiro complexo residencial localizado na cidade de Portisco, na ilha da Sardenha, foi bloqueado pelas autoridades italianas.

Descubra o mecanismo que levou centenas de jovens a virarem milionários utilizando uma nova ferramenta. Descubra o "Último Segredo da Internet", curso da EXAME Academy com o Gabriel Navarro. Clique aqui e se inscreva.

Mazepin, 23 anos, corria pela equipe americana de F1 Hass até dia 5 de março, quando a empresa rescindiu o contrato com o piloto como parte das sanções aplicadas contra a Rússia.

O pai de Mazepin é próximo do presidente russo, Vladimir Putin, e acionista majoritário de um império no setor petroquímico.

Sequestros de bens russos por quase um bilhão de euros

Nas últimas semanas, a polícia italiana sequestrou vilas e iates de propriedade de cidadãos russos que foram incluídos em uma lista de sanções da União Europeia. O valor total dos bens sequestrados é de quase um bilhão de euros.

O bem mais valioso apreendido até agora é um super-iate de propriedade do bilionário russo Andrey Igorevich Melnichenko, no valor de cerca de 530 milhões de euros, que foi apreendido no porto de Trieste, no norte do país.