PIB japonês se contrai 0,3% entre abril e junho

Em termos nominais, o PIB japonês se contraiu 5,7% a ritmo anualizado, segundo o relatório preliminar do governo

Tóquio - O Produto Interno Bruto (PIB) do Japão se contraiu 0,3% no trimestre que vai de abril a junho, segundo informou nesta segunda-feira (horário local) o Governo.

O dado correspondente ao segundo trimestre do ano fiscal japonês, que conclui em março de 2012, representa uma contração do PIB japonês de 1,3% a ritmo anualizado.

Em termos nominais, o PIB japonês se contraiu 5,7% a ritmo anualizado, segundo o relatório preliminar apresentado pelo Executivo.

Embora represente o terceiro trimestre consecutivo de queda no crescimento da economia japonesa, o que tecnicamente a continua situando em recessão, os números são melhores do que o esperado.

Os analistas prediziam uma contração de 0,7% para este trimestre e uma de 2,6% a ritmo anualizado, segundo uma pesquisa realizada pela agência local "Kyodo".

A maior queda foi registrada nas exportações, que diminuíram 4,9% de abril a junho frente aos três primeiros meses do ano, afetadas pelos efeitos do terremoto e do tsunami do dia 11 de março.

A queda também prejudicou o consumo privado, o qual representa 60% da economia japonesa e, entre abril e junho diminuiu 0,1% em comparação com o período que vai de janeiro a março, no qual se registrou queda de 0,6%.

Por outro lado, os investimentos privados de não residentes aumentaram 0,2%, enquanto o investimento público cresceu 3%.

A contração da economia japonesa menor do que a esperada, animou os investidores da Bolsa de Tóquio.

Nos primeiros 15 minutos da negociação, o índice Nikkei subia 145,55 pontos (1,62%), para 9.109,27, enquanto o Topix subia 11,13 pontos (1,45%), para 779,32.

Apesar dos números negativos, alguns analistas antecipam crescimento para o PIB japonês entre julho e setembro pela rápida recuperação de muitos setores da economia após a catástrofe de março.

Outros, no entanto, acreditam que a situação é mais incerta devido aos problemas fiscais nos Estados Unidos e Europa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.