Obama subsidia inovação da indústria dos EUA

Presidente dos EUA quer substituir importações e incentivar o retorno de parcela de investimentos americanos no exterior

Washington - Preocupado com a demolição de boa parte do setor produtivo dos Estados Unidos nas últimas décadas, o governo de Barack Obama lançou sem estardalhaço uma nova política industrial sustentada na inovação, na substituição de importações e no incentivo ao retorno de parcela de investimentos americanos no exterior.

Com discrição, Obama anunciou o plano em discurso no último dia 7 na Câmara de Comércio dos EUA. Como exemplos do novo “espírito industrial”, citou três iniciativas - as plantas da Caterpillar, no Texas, e da Dow Kokam, em Michigan, e uma iniciativa da Geomagic.

“Agora mesmo, negócios em todo o país estão provando que os EUA podem competir”, afirmou. “Agora é a hora para investir na América”, apelou Obama aos empresários. Única companhia americana especializada em softwares em 3D, a Geomagic decidiu trazer de volta a sua sede, em Durham, na Carolina do Norte, os setores de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) de suas filiais na Alemanha e na China.

Segundo a presidente da empresa, Ping Fu, o objetivo foi concentrar a “alma do negócio” nos EUA, onde há maior oferta de mão de obra qualificada. A área de P&D recebe anualmente 45% do faturamento da companhia. Entre os orgulhos de Ping Fu estão a tecnologia para criação dos monstros do filme Avatar, do design do iPhone e de sapatos para a popstar Lady Gaga.

A Geomagic manteve na Alemanha e na China apenas suas instalações de marketing e vendas para os mercados da Ásia e da Europa e tem planos de abrir uma unidade no Brasil. Para Obama, esse é um exemplo de empresa que está “trazendo de volta os empregos do exterior” - mesmo que sejam apenas 46 postos de trabalho.

Na política industrial da Casa Branca, um ponto-chave é o estímulo aos negócios geradores de empregos dificilmente transferíveis a outros países, como meio de superar o desemprego nos EUA. Daí o foco nas áreas de tecnologia da informação, biotecnologia e de energia limpa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.