Nova York registra primeiro caso por varíola dos macacos

Além desse caso, as autoridades de saúde pública de Nova York estão investigando mais dois potenciais casos de varíola
Varíola dos macacos: vírus provoca erupções cutâneas em várias partes do corpo (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
Varíola dos macacos: vírus provoca erupções cutâneas em várias partes do corpo (Wikimedia Commons/Wikimedia Commons)
Por Da redação com agências Publicado em 21/05/2022 15:08 | Última atualização em 23/05/2022 09:24Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A cidade de Nova York, nos Estados Unidos, confirmou na última sexta-feira, 20, o primeiro caso de varíola dos macacos em humanos . Segundo as autoridades estatuais de saúde, um morador da cidade de Nova York, foi diagnosticado com o vírus, está isolado e aguardando a confirmação pelo Centro de Controle de Doenças.

As autoridades também querem saber como o paciente de Nova York foi infectado. Os epidemiologistas da cidade começaram a rastrear pessoas que possam ter tido contato com outras pessoas, já receberam diagnóstico positivo da doença. Além desse caso, as autoridades de saúde pública de Nova York estão investigando mais dois potenciais casos de varíola.

O primeiro caso confirmado nos Estados Unidos foi no estado de Massachusetts no dia 18 de maio. 

Sobre o vírus

O vírus provoca erupções cutâneas em várias partes do corpo. Os sintomas se assemelham, em menor grau, aos observados no passado em indivíduos com varíola: febre, dor de cabeça, dores musculares e nas costas nos primeiros cinco dias. Em seguida surgem as erupções (no rosto, nas costas das mãos, nas solas dos pés), lesões, pústulas e finalmente crostas.

As lesões na pele se desenvolvem primeiramente no rosto e depois se espalham para outras partes do corpo, incluindo os genitais. As lesões na pele parecem as da catapora ou da sífilis até formarem uma crosta, que depois cai.

Os sintomas da varíola dos macacos podem ser leves ou graves, e as lesões na pele podem ser pruriginosas ou dolorosas. Casos mais leves de varíola podem passar despercebidos e representar um risco de transmissão de pessoa para pessoa. É provável que haja pouca imunidade à infecção naqueles que viajam ou são expostos de outra forma, pois a doença endêmica geralmente é limitada a partes da África Ocidental e Central.

Como ocorre o contágio?

A fonte de infecção nos casos relatados ainda não foi confirmada pela OMS. No geral, a varíola dos macacos pode ser transmitida pelo contato com gotículas exaladas por alguém infectado (humano ou animal) ou pelo contato com as lesões na pele causadas pela doença ou por materiais contaminados, como roupas e lençóis. O período de incubação da varíola dos macacos é geralmente de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias. Por isso pessoas infectadas precisam ficar isoladas e em observação por 21 dias.

A primeira vez que o vírus foi identificado em humanos foi República Democrática do Congo em 1970. Recentemente, surgiram casos vários países da Europa, em Estados Unidos, Canadá e Austrália.