Nova York continua evacuação dos que se negam a deixar casas

O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, pediu às pessoas que cooperem com a evacuação obrigatória das regiões mais baixas

Nova York – A cidade de Nova York continua os esforços para evacuar a população das áreas inundáveis que, apesar das advertências das autoridades sobre o perigo do Furacão Sandy, permanece ainda em seus lares, enquanto outros moradores do sul de Manhattan já enfrentam problemas com a água.

O prefeito da cidade, Michael Bloomberg, pediu às pessoas que cooperem com a evacuação obrigatória das regiões mais baixas, para o que ofereceu 26 ônibus para transportá-las aos 76 refúgios habilitados em toda a cidade.

“Não somos perfeitos, mas melhor preparados não podemos estar”, disse o prefeito em entrevista coletiva.

Para isso, a polícia está batendo de porta em porta e pedindo com alto-falantes que as pessoas saiam de seus lares seja para a casa de parente ou amigo ou aos refúgios, onde além de segurança, alimentos e cobertores haverá professores, já que as escolas permanecerão fechadas também na terça-feira após a passagem do furacão.

Cerca de 350 mil pessoas devem ser evacuadas das áreas inundáveis, mas muitos resistem a deixar suas casas.

“O mais importante é que as pessoas saiam das áreas baixas. Se não dá valor à sua vida, que aprecie a do pessoal de salvamento”, sustentou o prefeito em entrevista ao lado do senador federal Charles Schummer, da presidente do Conselho da cidade, Christine Quinn, e membros de seu gabinete.

De acordo com o prefeito, os hospitais na zona baixa de Manhattan também foram evacuados, enquanto outras instituições sanitárias permanecerão abertas para atender as emergências que possam surgir.

Embora Sandy não afete diretamente Nova York até esta noite, várias zonas já estão tendo problemas de inundações, como o setor Rede Hook em Brooklyn, Battery Park no sul de Manhattan e Suffolk County em Long Island, fora da cidade.

No estado vizinho de Nova Jersey, declarado também zona de emergência e que no ano passado sofreu os efeitos do furacão “Irene”, tem zonas sob a água como a famosa Atlantic City, e seu governador Chris Christie também instou os moradores a sair das regiões baixas.

Cerca de 25% dos residentes das zonas do litoral do estado não quiseram abandonar seus lares, de acordo com Christie, enquanto em outras áreas suscetíveis a inundações 90% dos moradores foram retirados. 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.