A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Manifestantes ucranianos fazem 67 policiais de reféns

Manifestantes ucranianos da oposição fizeram 67 policiais reféns durante os violentos confrontos que explodiram nas ruas de Kiev

Kiev - Manifestantes ucranianos da oposição fizeram 67 policiais reféns nesta quinta-feira durante os violentos confrontos que explodiram nas ruas de Kiev, informou o Ministério do Interior da Ucrânia.

"Durante os ataques contra os soldados dos órgãos do Ministério do Interior, 67 soldados foram capturados. Seu estado de saúde e sua sorte são desconhecidos", acrescentou o comunicado do ministério.

Contudo, a nota oficial adverte que "para a libertação de seus colegas, as forças de segurança têm direito a empregar todos os meios que a lei permita, incluído as armas".

O ministro do Interior da Ucrânia, Vitaliy Zakharchenko, ordenou hoje a entrega de armas aos soldados da polícia para uso durante os distúrbios, incluído para a libertação dos sequestrados.

"Hoje abriram fogo contra os soldados policiais com armas. Nas ruas morrem não só os agentes da ordem, mas os cidadãos pacíficos. Começaram os "pogroms" (ataque violento a pessoas, com a destruição simultânea do local) em Kiev e as regiões ocidentais da Ucrânia", disse.

O ministro garantiu que "o Ministério do Interior exige aos extremistas que entreguem voluntariamente as armas, e retornem ao marco do protesto pacífico. A nossa missão é apoiar a legalidade, e a polícia é capaz de restabelecer a ordem e a tranquilidade do Estado", acrescentou.

"Não se encontrará nem um só país democrático no qual as estruturas policiais tenham mostrado tanta contenção e tanta tolerância", ressaltou Zakharchenko.

O partido nacionalista Svoboda (Liberdade) denunciou que as forças de segurança foram as responsáveis por romper com a trégua ao abrir fogo às 8h (horário local) (3 horas de Brasília) contra as pessoas na Praça da Independência (Maidan).

A imprensa local informou e publicou imagens da presença de franco-atiradores em vários prédios oficiais do centro da capital e também de soldados de segurança com fuzis Kalashnikov. 

*Atualizada às 14h19 do dia 20/02/2014

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também