Live icon 

ELEIÇÕES 2022:  

Lula e Bolsonaro vão disputar o segundo turno Veja agora.

Macron recebe líder saudita buscando pressionar por produção de petróleo

Príncipe está visitando a Europa pela primeira vez desde que o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi em 2018
Emmanuel Macron e Mohammed bin Salman em último encontro no ano de 2018 (Christophe Morin/Getty Images)
Emmanuel Macron e Mohammed bin Salman em último encontro no ano de 2018 (Christophe Morin/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 29/07/2022 às 10:05.

O presidente francês Emmanuel Macron planejou pressionar o príncipe herdeiro saudita Mohammed bin Salman sobre produção de petróleo e questões de direitos humanos durante uma reunião em Paris na noite desta quinta-feira 28,, segundo autoridades.

O príncipe está visitando a Europa pela primeira vez desde que o assassinato do jornalista Jamal Khashoggi em 2018 o tornou menos bem-vindo nas capitais ocidentais. Macron esteve na vanguarda de seu retorno ao mercado internacional, fazendo a primeira viagem em anos de um grande líder ocidental à Arábia Saudita em dezembro passado. Ele foi seguido pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e, no início deste mês, pelo presidente Joe Biden.

Conduzindo o fim do isolamento do príncipe, em parte, está o impacto dos altos preços da energia nas taxas de inflação nos Estados Unidos e na Europa. Os preços do petróleo subiram acima de US$ 100 o barril depois que a Rússia invadiu a Ucrânia em fevereiro, e os sauditas fizeram pouco para aproveitar sua capacidade de bombear mais petróleo para domar o mercado, apesar dos pedidos do Ocidente para fazê-lo.

Um assessor presidencial próximo disse que Macron discutiria as aspirações europeias para a produção de petróleo durante um jantar no palácio presidencial do Eliseu, onde recebeu o príncipe Mohammed na noite de quinta-feira com um sorriso caloroso e um aperto de mão. "As necessidades dos países europeus, principalmente da França, aguardam respostas", disse o assessor.

Um alto funcionário do governo Biden disse nesta quinta-feira que, com base nas recentes discussões do presidente com os sauditas e outros produtores do Golfo durante sua viagem a Jeddah, a Casa Branca prevê progresso no aumento da produção como resultado dessa reunião. "Estamos otimistas de que possa haver alguns anúncios positivos na próxima reunião da Opep", disse o funcionário.

Veja também:

Macron denuncia "hipocrisia" de países da África por não reconhecerem agressão russa na Ucrânia

Quem é Sergio Massa, o novo "superministro" da Economia da Argentina