Grécia acredita que UE concederá mais tempo para pagamento

Ministro das Finanças grego, Papaconstantinou espera uma decisão final sobre o assunto na cúpula de março

Atenas – O ministro das Finanças da Grécia, Giorgos Papaconstantinou, disse nesta quinta-feira em Atenas que espera que os líderes europeus anunciem em março a ampliação do prazo de devolução do empréstimo trienal de 110 bilhões de euros, concedido em abril para salvar o país da falência.

Em uma entrevista ao canal estatal “NET”, o ministro assinalou que “em princípio, a zona do euro disse sim ao prolongamento do pagamento”.

O ministro acrescentou que em seguida a ampliação do prazo deve ser aprovada por cada Parlamento nacional e que espera que a decisão final seja tomada na cúpula do Conselho europeu em março.

Papaconstantinou disse que estão sendo estudadas várias opções, mas que ainda não se sabe de quantos anos será o prazo de devolução do empréstimo, mas que no mínimo será o mesmo concedido à Irlanda, de cerca de sete anos, e que está sendo negociada uma extensão.

O empréstimo à Grécia foi o primeiro outorgado a um país da Eurozona em perigo de falência e deve começar a ser pago a partir de 2012, ano em que a dívida pública grega representará 156% do seu Produto Interno Bruto (PIB), cerca de 350 bilhões de euros.

O ministro grego avaliou positivamente a opção de que os membros do bloco com problemas financeiros possam recomprar sua própria dívida com ajuda de um fundo europeu.

“Não existe uma proposta oficial, nem sequer uma negociação oficial a respeito, mas seria uma solução”, disse.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.