Funcionária da OMS é assassinada na Somália

A funcionária da OMS foi assassinada por três homens enquanto fazia compras no popular mercado de Bakara
Somália: os familiares da funcionária da OMS acusam o grupo Al Shabab pela autoria do crime (Feisal Omar/Reuters)
Somália: os familiares da funcionária da OMS acusam o grupo Al Shabab pela autoria do crime (Feisal Omar/Reuters)
E
EFEPublicado em 02/05/2018 às 10:11.

Mogadíscio - Uma funcionária somali da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi assassinada na terça-feira por homens armados em Mogadíscio, confirmaram nesta quarta-feira à Agência Efe fontes policiais.

A trabalhadora Marian Abdullahi Isak morreu enquanto fazia compras no popular mercado de Bakara, o maior da Somália, precisou à Efe Abdullahi Noor, responsável da polícia no bairro de Hawle Wadag.

Isak trabalhava para a OMS em trabalhos de apoio logístico em campanhas de vacinação contra a poliomelite na região de Baidoa, no sudoeste deste país, segundo a imprensa local.

Embora ninguém tenha reivindicado a autoria do ataque, familiares da vítima acusaram o grupo jihadista Al Shabab, ao alegar que a mesma já tinha recebido ameaças várias vezes.

O Al Shabab rejeitou durante anos as campanhas de vacinação no país e dificultou os trabalhos das organizações de ajuda humanitária.

A organização terrorista, que filiou-se em 2012 à rede internacional da Al Qaeda, controla parte do território no centro e no sul do país e deseja instaurar na Somália um Estado islâmico de corte wahhabista.