França limita salários de executivos de empresas públicas

As remunerações desses profissionais terão um teto de € 450 mil anuais a partir de 2012 ou 2013

Paris - As remunerações de "executivos sociais" das empresas públicas francesas terão um teto de 450 mil euros anuais a partir de 2012 ou 2013, dependendo das empresas, anunciou nesta quarta-feira o ministro de Economia e Finanças Pierre Moscovici.

"Ganhar 450 mil euros anuais não me parece dissuasivo se quisermos ter à frente de nossas empresas homens e mulheres de qualidade", declarou o ministro à imprensa ao término do conselho de ministros.

Moscovici anunciou que o decreto que limitará as remunerações dos executivos das empresas públicas será adotado antes do fim de junho.

Menos de vinte destes executivos superam atualmente o salário de 450 mil euros anuais, segundo fontes do ministério.

No entanto, a medida provocou rapidamente reações contrárias da oposição. O secretário-geral do partido de direita UMP, Jean-François Copé, a classificou de "sumamente hipócrita", já que considera que, com isso, "faz os franceses acreditarem que os problemas orçamentários, econômicos, são solucionados", e, na realidade, "não se resolve nada, nem reduz absolutamente as injustiças".

Para Copé, reduzir as injustiças é "permitir aos franceses ganhar mais".

A primeira medida tomada pelo presidente socialista, François Hollande, ao chegar ao poder em maio, foi reduzir em 30% seu salário, assim como o dos membros de seu governo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também