Ex-prefeito de Londres anti-UE ganha terreno com Brexit

O personagem que ganhou relevo com esse desfecho foi Boris Johnson, ex-prefeito de Londres

Londres - Foi a maior aposta do primeiro-ministro britânico, David Cameron, e ele estava convencido de que iria ganhar. Agora, seu rival mais próximo --no referendo sobre a União Europeia, no Partido Conservador e no país-- é o favorito para ficar com seu cargo.

A decisão britânica de se separar da UE, uma vitória da causa populista, pode ser um momento de definição para o Reino Unido e para o projeto europeu. Seu resultado levou à queda das bolsas e da libra esterlina nesta sexta-feira em meio a alertas sobre danos à economia.

O personagem que ganhou relevo com esse desfecho foi Boris Johnson, ex-prefeito de Londres e colega de classe de Cameron que se tornou o garoto-propaganda da campanha do "sai", enquanto o premiê advogava o "fica".

Agora que Cameron anunciou sua renúncia depois de ver o público britânico rejeitá-lo nas urnas, Johnson é o candidato mais forte para substituí-lo.

Para Cameron, a virada aconteceu em fevereiro, quando Johnson, político que conseguiu despertar um grande apelo que transcende o Partido Conservador, usou seu capital político para postular a desfiliação britânica, o que várias fontes disseram ter sido um gesto calculado para fortalecer suas chances de tomar o lugar do primeiro-ministro.

Cameron cedeu aos eurocépticos de seu partido ao aceitar colocar no início de 2013 a adesão britânica à União Europeia em votação popular. Foi uma tentativa de enterrar de vez os questionamentos sobre a adesão que vinham atormentando os sucessivos governos britânicos.

Inicialmente, Cameron achou que conseguiria cooptar Johnson. Um amigo e ex-colega de Johnson contou que o ex-prefeito poderia ter garantido uma vaga no gabinete de Cameron se tivesse concordado em fazer campanha ao lado do premiê.

Ao invés disso, ele ofereceu seu apoio, e com ele sua grande popularidade junto a muitos eleitores, aos defensores do "sai". "Ele é um tremendo ativo para a campanha, ele a tornou otimista, enérgica e positiva", afirmou seu amigo à Reuters.

Texto atualizado às 18h18

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.