'Eu tenho razão', diz Trump sobre islamismo após massacre

Trump afirmou recentemente que, ao chegar à Presidência, proibirá todos os muçulmanos de entrar em território americano

Donald Trump, o virtual candidato republicano à Casa Branca, declarou "ter razão" sobre o radicalismo islamita, após o massacre que deixou 50 mortos neste domingo em Orlando, Flórida.

O magnata - que propôs a proibição da entrada dos muçulmanos nos Estados Unidos - agradeceu às pessoas que o "cumprimentaram por ter razão sobre o terrorismo islamita radical".

"Mas não quero cumprimentos, quero vigilância e rigor. É necessário que sejamos inteligentes!", escreveu no Twitter.

As autoridades não confirmaram oficialmente a identidade do atacante, apresentado pela imprensa como Omar Mateen, um cidadão americano de origem afegã, de 29 anos, que vivia na Flórida.

A Polícia abriu uma investigação por terrorismo. Segundo a CNN e a NBC, o atirador expressou lealdade ao grupo extremista Estado Islâmico (EI) em uma ligação ao 911.

Após o atentado de San Bernardino, na Califórnia, em dezembro passado, Trump afirmou que, ao chegar à Presidência, proibirá todos os muçulmanos de entrar em território americano.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.