Líder do DUP diz que acordo com May favorece interesse nacional

O apoio ao Partido Conservador no Parlamento renderá um investimento adicional de um bilhão de libras em dois anos na Irlanda do Norte

Londres - O Partido Conservador da primeira-ministra do Reino Unindo, Theresa May, e o Partido Democrático Unionista (DUP), liderado por Arlene Foster, assinaram nesta segunda-feira um acordo de governabilidade que renderá um financiamento adicional de um bilhão de libras para a autonomia da Irlanda do Norte.

O governo de May precisa do apoio dos dez deputados do ultraconservador DUP norte-irlandês, pró-britânico e protestante, após ter perdido a maioria absoluta nas eleições gerais de 8 de junho.

Foster revelou alguns detalhes do esperado pacto após sua assinatura em Downing Street, residência oficial de May, pelos líderes parlamentares "tory", Gavin Williamson, e unionista, Jeffrey Donaldson.

Após ser selado o acordo, Foster revelou que o apoio no Parlamento a um governo conservador em minoria renderá um investimento adicional na Irlanda do Norte de um bilhão de libras em dois anos.

Essa quantia se soma a outros 500 milhões já comprometidos, fechando um total de 1,5 bilhão de libras, indicou.

Além disso, Foster disse que o governo de May se comprometeu a manter as garantias sobre o aumento das pensões, que o partido da primeira-ministra queria eliminar, bem como os subsídios energéticos para os idosos.

A líder do DUP assegurou que o intuito de seu partido ao negociar este acordo, muito criticado pela oposição trabalhista e por outros partidos norte-irlandeses, foi "favorecer o interesse nacional" e fortalecer um governo nacional "estável" em um momento "chave" para o país.

Indicou que, com esta aliança, tentará promover um acordo de saída da União Europeia (UE) "que favoreça a todo o Reino Unido".

Em declarações feitas em Downing Street durante a assinatura do acordo, recolhidas pela agência britânica "PA", May ressaltou "os valores compartilhados" por ambos os partidos, como "o desejo de ver a prosperidade em todo o país" e "reforçar a união" do Reino Unido.

"Também compartilhamos o desejo de assegurar um governo forte, que seja capaz de impulsionar seu programa e enfrentar as negociações do 'Brexit' e outras questões de segurança nacional", disse.

O acordo entre os dois partidos, do qual ainda serão publicados mais detalhes, significa que o DUP cederá seus votos ao governo conservador para aprovar mudanças chave na legislação, ainda que novas leis pontuais terão que ser examinadas.

A primeira sessão parlamentar após o acordo será na próxima quinta-feira, quando a Câmara dos Comuns deve aprovar o programa legislativo do governo para os próximos dois anos, que inclui um grande número de leis sobre o "Brexit".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.