Distúrbios em frente à casa do terror na Nigéria

Cerca de 50 pessoas provocaram distúrbios na Nigéria em frente a uma casa abandonada chamada de casa do terror

Ibadan - Cerca de 50 pessoas provocaram distúrbios nesta segunda-feira na Nigéria em frente a uma casa abandonada chamada de "casa do terror", na qual foram encontrados vários esqueletos e corpos em decomposição.

Pelo menos vinte pessoas ficaram feridas e 12 veículos, danificados quando a polícia impediu a passagem de 50 pessoas armadas com paus e facões que queriam entrar na propriedade, situada no sudoeste da cidade de Ibadán.

Depois da macabra descoberta, no sábado, as autoridades isolaram a casa em ruínas de um andar, cercada de ervas daninhas, de carcaças enferrujadas de pelo menos cinco tratores e de outros veículos.

A polícia até o momento não apresentou uma hipótese, mas os vizinhos suspeitam que rituais de magia negra tenham sido praticados.

Pelo menos 15 pessoas algemadas foram encontradas no interior da casa, segundo a imprensa, e várias muito desnutridas foram vistas perambulando pela floresta próxima à casa.

"Queremos resgatar nossa gente que continua lá e que pede ajuda. Mas a polícia nos diz que não e isso nos enfurece", indicou à AFP um dos manifestantes em frente à casa.

Uma mulher explicou que uma testemunha viu um integrante de um grupo local atirar na barriga de outro homem, mas não havia informação sobre seu estado de saúde.


A descoberta da casa do terror foi feita após o alerta de um grupo de motociclistas que perderam alguns de seus membros e que afirmaram que eles poderiam ter sido sequestrados.

Frequentemente as vítimas de sequestros na Nigéria são torturadas ou sacrificadas em rituais de magia negra, e a imprensa local informou a respeito da venda de partes de corpos humanos em diferentes pontos do país.

O cheiro de morte e uma nuvem de moscas obrigava aqueles que se aventuravam no interior da casa a cobrir a boca e o nariz com uma máscara, indicou um jornalista da AFP.

Vizinhos acreditavam que a casa, situada a um quilômetro da estrada que leva a Lagos, era o escritório de uma empresa do setor da construção. No interior foram encontrados 50 sacos de cimento solidificado.

"Há algum tempo notamos movimentos na área e alertamos as forças de segurança, mas elas não reagiram", disse a líder comunitária local, Isiaka Bello.

O governador do Estado de Oyo, Abiola Ajumobi, visitou nesta segunda o local e garantiu que os responsáveis não ficarão impunes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.