Crise política gera perdas de US$ 800 mi à Nicarágua, adverte ONG

Consultores para o Desenvolvimento Empresarial prevê que a produção de grãos básicos e os bens de exportação, como a carne bovina, serão os mais afetados

A economia nicaraguense sofrerá perdas de aproximadamente 800 milhões de dólares e cerca de 90.000 empregos por causa da crise política no país, advertiram nesta quinta-feira (7) economistas independentes.

Um dos impactos imediatos é o atraso no ciclo agrícola 2018-2019, que inicia entre maio e junho e que coincide com a temporada de chuvas, disse à AFP o diretor da não estatal Consultores para o Desenvolvimento Empresarial (Copade), Néstor Avendaño.

Os protestos iniciados por estudantes contrários a uma reforma ao sistema de aposentadorias, que depois foi anulada, começaram em 18 de abril e se generalizaram para outros setores. A repressão deixou 134 mortos e mais de mil feridos.

O Copade prevê que os setores mais afetados por essas protestos serão a produção de grãos básicos e bens de exportação como a carne bovina, que representam 30% do Produto Interno Bruto (PIB).

Outro efeito negativo recairá na atividade comercial e no turismo; pelo lado do gasto haverá uma queda das exportações outra no consumo das famílias, informou Avendaño.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.