Mundo

Comissão de Esporte do Senado quer explicações de Orlando Silva

Apesar do pedido da oposição, policial que acusa o ministro não será ouvido

Orlando Silva, Ministro do Esporte, vai depor no Senado (Agência Brasil)

Orlando Silva, Ministro do Esporte, vai depor no Senado (Agência Brasil)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de outubro de 2011 às 12h25.

Brasília - A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou há pouco requerimento de convite para que o ministro do Esporte, Orlando Silva, preste esclarecimentos a respeito das denúncias de corrupção no Programa Segundo Tempo.

Os membros da comissão, no entanto, rejeitaram requerimento proposto pelo senador Álvaro Dias (PSDB-PR) para ouvir o policial João Dias Ferreira, autor das denúncias, e o atual governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, também citado no caso. Em maioria na comissão, senadores da base do governo desqualificaram as denúncias do policial.

"A vinda desse cidadão aqui seria reduzir a importância do debate", disse o líder do PT, Humberto Costa (PB). Já o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), do mesmo partido do ministro Orlando Silva, disse que João Dias Ferreira não apresentou nenhuma prova que sustente as acusações.

O líder tucano ponderou que é necessário ouvir todas as partes envolvidas. "É inadmissível não ouvir as duas partes. Ou se ouve os dois lados ou não se ouve lado algum", ressaltou. "Trazer o ministro e não ouvir o denunciante é uma farsa", acrescentou o senador Aloysio Nunes (PSDB-SP).

A Comissão de Educação é a segunda a aprovar convite para que Orlando Silva fale aos senadores. Mais cedo, a Comissão de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle também aprovou convite convidando o ministro. Ficou marcado que Orlando Silva vá ao Senado amanhã.

Acompanhe tudo sobre:EscândalosFraudesMinistério do EsporteOrlando SilvaPolíticaPolítica no BrasilPolíticos brasileirosSenado

Mais de Mundo

Republicanos exigem renúncia de Biden, e democratas celebram legado

Apesar de Kamala ter melhor desempenho que Biden, pesquisas mostram vantagem de Trump após ataque

A estratégia dos republicanos para lidar com a saída de Biden

Se eleita, Kamala será primeira mulher a presidir os EUA

Mais na Exame