China intensifica exercícios militares ao redor de Taiwan

Os exercícios são uma das represálias da China à passagem da líder democrata dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, por Taiwan
Nancy Pelosi afirmou que a China não vai conseguir isolar Taiwan. (Remote Richard Heathcote/Getty Images)
Nancy Pelosi afirmou que a China não vai conseguir isolar Taiwan. (Remote Richard Heathcote/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 05/08/2022 às 11:08.

A China intensificou nesta sexta-feira, 5, os exercícios militares ao redor de Taiwan. Mísseis foram disparados sobre o território, segundo autoridades de defesa à mídia estatal. Caças bombardeiros, destróieres e fragatas foram usados para "operações conjuntas de bloqueio", segundo a agência de notícias oficial Xinhua News.

Os exercícios são uma das represálias da China à passagem da líder democrata dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, por Taiwan.

Novas versões de mísseis também foram testadas contra alvos no Estreito de Taiwan, atingindo-os "com precisão", segundo autoridades da China. A imprensa estatal chinesa descreve os exercícios em Taiwan como uma operação de "escala sem precedentes".

Em Tóquio, última parada deem sua agenda pela Ásia, Nancy Pelosi afirmou que a China não vai conseguir isolar Taiwan.

De acordo com a presidente da Câmara dos EUA, Pequim não pode ditar quem pode visitar a ilha. "Eles não estão fazendo a nossa programação de viagem. O governo chinês não está fazendo isso", disse ela.

(Estadão Conteúdo, com agências internacionais)

LEIA TAMBÉM:

China suspende diálogos bilaterais com EUA, após visita de Pelosi a Taiwan

Exercícios militares da China no Estreito de Taiwan são os mais agressivos na área em décadas

Pelosi provavelmente visitará zona de fronteira entre as Coreias