A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Capriles acusa governo de mentir sobre saúde de Chávez

"Muito provavelmente, eles têm mentido nos últimos dois meses sobre a condição do presidente da República", disse o líder opositor venezuelano, Henrique Capriles

Caracas - O líder opositor venezuelano, Henrique Capriles, acusou novamente, nesta quinta-feira, o governo de "mentir" sobre o estado de saúde do presidente Hugo Chávez, hospitalizado em Cuba há mais de dois meses e afastado da vida pública.

"Muito provavelmente, eles têm mentido nos últimos dois meses sobre a condição do presidente da República", disse em coletiva de imprensa Capriles, que argumentou que o governo "mentiu" ao afirmar até bem pouco tempo que não havia uma desvalorização do bolívar, o que se confirmou na quarta-feira.

Capriles defendeu que Chávez pode estar em uma situação "totalmente diferente em relação ao que falaram" os membros de seu governo, os únicos autorizados a divulgar informações sobre o estado de saúde do dirigente.

O último registro divulgado na quarta-feira pelo vice-presidente Nicolás Maduro indicava que o presidente está sendo submetido a tratamentos "complexos e duros" na sua luta contra o câncer.

Apesar de Chávez não aparecer em público desde que foi operado pela quarta vez no dia 11 de dezembro em Cuba, o executivo garante que o presidente continua no comando, tomando decisões e assinando decretos, como a desvalorização de quase 32% do bolívar frente ao dólar, que entrou em vigor na quarta-feira.


Capriles, que ressaltou que Chávez havia negado no ano passado que planejava uma desvalorização da moeda, insistiu que o governo "mente sistematicamente".

"Se uma pessoa pode assinar, não vai poder se pronunciar ao país? Então estão mentindo, não é verdade que o presidente fala e assina", acrescentou.

Capriles foi derrotado nas eleições presidenciais de outubro de 2012 por Chávez, porém obteve um número maior de votos do que outros rivais anteriores do dirigente, com 44% frente a 55%.

O atual governador do estado Miranda (no norte) não confirmou que se candidataria às eleições presidenciais antecipadas frente a uma eventual falta absoluta do presidente e disse que a oposição está "pronta" para tomar decisões caso ocorra este cenário.

Chávez, desde 1999 no poder, não pôde tomar posse para um novo mandato no dia 10 de janeiro, como estava previsto, mas o Tribunal Supremo aprovou que assumisse quando estivesse em condições e que seu governo do período 2007-2012 permanecesse em exercício.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também