Caminhoneiros do Canadá bloqueiam ponte mais movimentada com os EUA

Os motoristas que exigem o fim da obrigatoriedade federal da vacina contra covid-19 para o tráfego transfronteiriço chegaram pela primeira vez a Ottawa em 28 de janeiro
 (Macomb County Scanner/Divulgação/Reuters)
(Macomb County Scanner/Divulgação/Reuters)
R
Reuters

Publicado em 08/02/2022 às 12:42.

Última atualização em 08/02/2022 às 13:21.

Caminhoneiros canadenses furiosos bloqueavam a passagem mais movimentada com os Estados Unidos nesta terça-feira, enquanto o primeiro-ministro Justin Trudeau se preparava para enfrentar parlamentares para discutir a crescente crise.

Os motoristas que exigem o fim da obrigatoriedade federal da vacina contra covid-19 para o tráfego transfronteiriço chegaram pela primeira vez a Ottawa em 28 de janeiro e gradualmente foram tomando o centro da capital canadense.

À medida que a polícia lentamente começou a retomar o controle, os manifestantes — muitos dos quais estão exigindo que Trudeau renuncie — mudaram seu foco para a Ponte Ambassador que liga Detroit e Windsor.

Caminhões começaram a bloquear o tráfego na segunda-feira e um site do governo canadense mostrou que a ponte foi fechada em ambas as direções.

O Canadá envia 75% de suas exportações de mercadorias para os Estados Unidos e os caminhões desempenham um papel crucial.

"Fomos mandados aqui para enviar uma mensagem e a mensagem não está sendo transmitida", disse o porta-voz do protesto de Ottawa, Tom Marazzo, a repórteres na noite de segunda-feira.

Trudeau, que passou dez dias em isolamento após pegar covid-19, retornaria à Câmara ainda nesta terça-feira para enfrentar os parlamentares da oposição que exigem que ele faça mais para acabar com o que um assessor chamou de "humilhação nacional".

Seu governo, no entanto, diz que as forças policiais devem ser capazes de restaurar a ordem.