"Boa sorte com a viagem para a Lua", diz Biden após Musk planejar demissões na Tesla

A resposta de Biden veio após Musk afirmar que planeja cortar vagas na Tesla por ter um "sentimento super-ruim" sobre a economia americana
Biden: presidente americano afirmou que empresas como Ford e Intel estão criando vagas nos EUA (Sarah Silbiger/Reuters)
Biden: presidente americano afirmou que empresas como Ford e Intel estão criando vagas nos EUA (Sarah Silbiger/Reuters)
C
Carolina Riveira

Publicado em 03/06/2022 às 17:31.

Última atualização em 03/06/2022 às 18:05.

O presidente americano, Joe Biden, comentou nesta sexta-feira, 3, sobre os planos da montadora Tesla de demitir 10% de seu corpo de funcionários assalariados. Em uma indireta ao presidente da montadora, Elon Musk, Biden desejou "boa sorte" ao bilionário em sua "viagem para a Lua".

A notícia dos planos de demissões da Tesla foi reportada inicialmente pela agência Reuters, que teve acesso a um e-mail enviado por Musk a executivos na quinta-feira, 2.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Na mensagem, Musk afirma que a Tesla tem mais funcionários do que necessita após aumentar o número de empregados em 45% em um ano e diz que tem "um sentimento muito ruim sobre a economia dos Estados Unidos".

Nesta sexta-feira, Biden foi questionado sobre o assunto em uma coletiva de imprensa. A repórter perguntou ao presidente sobre os comentários de Musk acerca da economia americana.

VEJA TAMBÉM: EUA cria 390 mil empregos em maio; desemprego fica em 3,6%

Biden respondeu dizendo que outras empresas estavam ampliando contratações nos Estados Unidos.

"Enquanto o Elon Musk está falando disso, a Ford está aumentando seu investimento amplamente", disse, antes de citar também planos de contratações da Intel e da antiga Chrysler (hoje do grupo Stellantis).

"Então, bom, muita sorte na viagem dele para a Lua", disse Biden, em referência ao projeto de uma viagem lunar da SpaceX, empresa aeroespacial da qual Musk é dono. 

VEJA TAMBÉM: Ações da Tesla caem após notícia de demissões em massa

Musk, por sua vez, respondeu no Twitter postando um comunicado de parceria entre a SpaceX, fabricante de sistemas aeroespaciais da qual é dono, e da Nasa, agência estatal e controlada pelo governo americano.

A SpaceX ganhou um contrato da Nasa para levar dois astronautas à Lua, na missão batizada de "Ártemis".

"Obrigado, senhor presidente", escreveu Musk.

Embates de Musk com democratas

Enquanto isso, ao falar na coletiva sobre os empregos criados pela Ford, citando que inclui produção em carros elétricos outra indireta à Tesla de Musk , Biden disse ainda que as vagas são "de empregos com sindicatos, devo acrescentar". 

O presidente mencionou que a Ford está abrindo 6 mil vagas no meio-oeste americano e a Intel, 20 mil postos para fabricação de chips.

Musk tem disparado críticas contra a gestão Biden, que é do Partido Democrata. No passado, o bilionário acusou o governo de favorecer fábricas e empresas que criam vagas sindicalizadas, uma bandeira de Biden, que frequentemente chama esses postos de "bons trabalhos".

Musk também criticou recentemente uma proposta de Biden de ampliar a tributação de multinacionais nos EUA.

O dono da Tesla é atualmente o homem mais rico do mundo, com patrimônio estimado em US$ 294 bilhões, segundo as cotações desta sexta-feira medidas pelo índice de bilionários da Bloomberg.

Os embates de Musk com os democratas apareceram novamente após a proposta de compra do Twitter feita pelo bilionário (a transação ainda não foi concluída).

VEJA TAMBÉM: Musk diz que vai reverter banimento de Donald Trump do Twitter

Políticos do Partido Republicano comemoraram a eventual aquisição, enquanto membros do Partido Democrata criticaram o fato de a rede social estar sob controle de uma única pessoa e afirmaram se preocupar com a propagação de discurso de ódio. Musk diz que não se define como eleitor do Partido Republicano especificamente.

Se seguir adiante com os planos de demissões, a Tesla pode demitir cerca de 6 mil funcionários, pelos cálculos do jornal The Wall Street Journal. Os cortes, segundo o e-mail de Musk vazado, não incluiriam funcionários diretamente envolvidos na linha de produção de carros, baterias e painel solares.

A montadora terminou 2021 com 100 mil funcionários. As ações da Tesla fecharam a sexta-feira com queda de 9,2%, puxada pela notícia dos cortes.

Desemprego nos EUA

Os EUA divulgaram também nesta sexta-feira a taxa de desemprego no mês de maio, que ficou em 3,6%, uma das menores da história. A criação de vagas ficou acima do esperado pelo mercado, com 390 mil novos postos.

Por outro lado, o aquecimento do mercado de trabalho e os gargalos globais na oferta de commodities com a guerra na Ucrânia, sobretudo no caso dos combustíveis, têm feito subir a inflação nos EUA. A inflação americana supera hoje 8%, valor alto para os padrões do país.

O Banco Central americano, o Fed, deve promover novas altas de juros neste ano para conter a inflação, o que pode levar os EUA a uma recessão a depender do cenário. Apesar do desemprego baixo, a alta da inflação tem sido custosa para a popularidade de Biden.