Berlusconi solta a voz e atrai os holofotes, mas agora como cantor

Após renunciar ao cargo devido à crise financeira e ao envolvimento em escândalos sexuais, o bilionário italiano quer reconquistar seus eleitores cantando músicas de amor

São Paulo – Após se ver obrigado a renunciar ao cargo de primeiro-ministro no começo deste mês, Silvio Berlusconi – magnata das comunicações da Itália e considerado um dos homens mais ricos do mundo – está chamando novamente as atenções: agora não como político ou empresário, mas sim como cantor.

A expectativa é de que ocorra nesta terça-feira o lançamento na Itália de seu quarto disco. Assim como as anteriores, a obra será dedicada ao amor.

O novo álbum, titulado “Il Vero Amore ( o verdadeiro amor, em italiano), inclui canções escritas pelo próprio Berlusconi e executadas por Mariano Apicella, um cantor e compositor napolitano.

“O álbum estará nas lojas nesta terça-feira”, revelou Apicella, em declaração ao jornal britânico The Telegraph. “Berlusconi escreveu as palavras e eu incluí todas nas músicas”, acrescentou.

Eu levo minhas mãos ao seu lado porque é você. Eu adoro você e já sinto sua falta, diz o trecho de uma das 11 canções de Berlusconi, todas inspiradas por músicas napolitanas tradicionais.

Em outro verso, o ex-primeiro-ministro de 75 anos, cujo final do mandato foi marcado por uma série de escândalos sexuais, lamenta: mais um dia de vento e chuva, mais uma noite sem você. 

O retorno do político e empresário italiano ao mundo artístico é visto pela mídia italiana como uma volta de Berlusconi a suas origens. Quando era jovem, o bilionário chegou a trabalhar como cantor em um navio de cruzeiro.

A amizade de Mariano Apicella com Berlusconi ganhou fôlego após o magnata ter conhecido o compositor durante um congresso político em 2001. Na ocasião, o empresário era premiê da Itália e Apicella cantou músicas destinadas aos namorados durante um evento no Hotel Vesuvio (confira no vídeo abaixo).

Atrasos e problemas técnicos

O lançamento do novo álbum de Berlusconi ocorre com atraso, já que estava previsto para o começo de novembro. A imprensa italiana chegou a cogitar que o momento não foi adequado para a estreia, justamente por conta da difícil crise que enfrentava o ex-primeiro ministro italiano no comando do país europeu.

No entanto, as especulações foram desmentidas por Mariano Apicella. Segundo ele, alguns problemas técnicos ocorridos durante a gravação do álbum atrasaram o lançamento. Um saxofone que não funcionava, uma bateria que não reproduzia um bom som. Alguns erros ocorreram, mas agora está tudo perfeito, explicou.

O lançamento do quarto disco de Berlusconi ocorre após a publicação dos seguintes álbuns: Melhor uma canção em 2003, O último amor em 2005 e Nápoles no coração em 2006.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.