A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Áustria diz que não deixará refugiados abandonados

O chanceler federal da Áustria disse que os refugiados que estão na Hungria a caminho da fronteira com a república alpina não serão abandonados

Budapeste - O chanceler federal da Áustria, Werner Faymann, disse nesta sexta-feira que os refugiados que estão na Hungria a caminho da fronteira com a república alpina não serão abandonados, informou a agência austríaca "APA".

"Não vamos abandonar essas pessoas nesta situação de necessidade", disse uma porta-voz de Faymann à citada agência.

O assessor do chanceler acrescentou que Viena coordenará suas posições com a Alemanha e que o chefe do governo austríaco manterá amanhã uma consulta telefônica com seu colega húngaro, Viktor Orbán.

O Ministério do Interior da Áustria indicou que já mantém contatos com organizações de ajuda para discutir a situação, caso cheguem à Áustria os muitos refugiados que estão há dias esperando na Hungria para poder seguir viagem rumo à Alemanha e a outros países da União Europeia (UE).

Desde a manhã de hoje, centenas de refugiados que estão esperando há dias na estação ferroviária de Keleti, em Budapeste, e em seus limites, para poder pegar um trem que os leve à Alemanha, estão caminhando em direção à fronteira com a Áustria, a mais de 200 quilômetros da capital húngara.

A marcha se transformou em um êxodo de refugiados, sobretudo de homens jovens, mas também de algumas famílias, com mães e filhos, e nas últimas horas seguia pela rodovia húngara M1, de acordo com imagens veiculadas por emissoras locais de televisão.

Horas depois, a Hungria anunciou que oferecerá aos refugiados que estão em Keleti e aos que estão caminhando pela estrada a possibilidade de serem transferidos em ônibus até a fronteira com a Áustria.

O transporte será realizado em aproximadamente 100 ônibus que estarão à disposição ainda esta noite para que os refugiados possam chegar à cidade fronteiriça de Hegyeshalom, informou em entrevista coletiva em Budapeste o ministro húngaro de Governo, János Lázár.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também