Asthon informa G5+1 sobre encontro com ministro iraniano

Chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton se reuniu com representantes do grupo 5+1 para informar conteúdo de seu encontro com ministro iraniano

Genebra - A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton, se reuniu com representantes das delegações do grupo 5+1 para informar sobre conteúdo de seu encontro desta manhã com o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, que durou cerca de duas horas.

A primeira reunião bilateral do dia foi qualificada como "produtiva" pelo porta-voz de Ashton, Michael Mann.

Os EUA, Rússia, Reino Unido, França e China - os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU -, mais Alemanha, participam desde quarta-feira de uma terceira rodada de negociações, que a princípio deve terminar hoje, com a equipe negociadora iraniana formada após a chegada ao poder do presidente Hassan Rohani.

As negociações foram muito intensas até agora, particularmente entre Zarif e Ashton, que depois informa sobre o avanço ou os pontos de divergência entre os representantes do G5+1.

Pelo lado do G5+1, a negociação é coordenada por Ashton, que recebeu este mandato do Conselho de Segurança da ONU.

As reuniões plenárias entre as sete partes desta negociação foram limitadas e quando ocorreram foram breves.

Apesar do ministro iraniano e Ashton passarem várias horas reunidos, sabe-se que persistem diferenças em pontos-chave da negociação e que os avanços concretos foram muito poucos.


A delegação iraniana se referiu publicamente aos mal-entendidos que tinham diminuído a confiança de seus interlocutores, o G5+1, que há vários anos tenta obter do Irã compromissos para garantir a natureza pacífica de seu programa nuclear.

Estes passam, do lado iraniano, por deter de forma imediata o enriquecimento de urânio a 20%, que poderia se transformar no elemento base de uma bomba nuclear e que gera grande inquietação na comunidade internacional.

O acordo que é perseguido, segundo anteciparam os negociadores, terá uma vigência limitada de seis meses, durante os quais se passaria a uma segunda fase negociadora para alcançar um acordo integral que aborde todas as preocupações de uma e outra parte.

O Irã quer que os Estados Unidos e os países da União Europeia, em particular, reduzam as sanções econômicas impostas.

O que ocorrer hoje será decisivo para o futuro deste processo, pois um fracasso afastaria a possibilidade de um acordo com o Irã.

Por outro lado, se for possível acordar os pontos mais significativos de discórdia, pode-se esperar a chegada neste fim de semana a Genebra dos responsáveis das Relações Exteriores do G5+1 para carimbar o ansiado acordo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também