Marketing

Will Smith e 1,8 milhão de clientes: a estratégia da Nomad para dobrar receita em 2024

Ator americano 'fala' português em campanha da fintech que destaca expansão do portfólio de serviços além do universo das viagens

Thais Souza Nicolau, diretora de marketing da Nomad (Mariana Pekin)

Thais Souza Nicolau, diretora de marketing da Nomad (Mariana Pekin)

Juliana Pio
Juliana Pio

Editora-assistente de Marketing e Projetos Especiais

Publicado em 2 de julho de 2024 às 09h31.

Última atualização em 23 de julho de 2024 às 14h22.

Tudo sobreestrategias-de-marketing
Saiba mais

Thais Souza Nicolau assumiu a diretoria de marketing da Nomad em janeiro, menos de um ano após o aporte de US$ 61 milhões captado em uma rodada liderada pela gestora Tiger Global Management. A fintech, criada em 2019, aumentou sua base de clientes ativos de 1,3 milhão, em dezembro de 2023, para 1,8 milhão, neste mês. Agora, a empresa entra em um novo momento de expansão cuja estratégia está centrada no fortalecimento da marca para além do universo de viagens.

O plano vem acompanhado da ampliação e diversificação do portfólio de produtos e serviços financeiros internacionais, o que motivou a Nomad a desembolsar quatro vezes mais recursos, do que todo o investimento na área de marketing no ano passado, em uma nova campanha institucional estrelada pelo ator americano Will Smith.

“A Nomad foi lançada no final da pandemia e, desde então, cresceu muito, escalando significativamente em número de clientes, com um foco em aquisição e performance, ou seja, um marketing mais voltado para o fundo de funil”, diz Nicolau. “Isso foi importante e suficiente até agora, mas a empresa entendeu que no setor financeiro, onde estamos expandindo os negócios, é preciso realizar um trabalho mais completo de marca e posicionamento”, complementa.

O desafio da executiva envolve manter o foco na conversão, ao mesmo tempo em que mira na ampliação da conexão com os consumidores. Para isso, convocou o astro do recém-lançado ‘Bad Boys 4’ para ‘conversar’ com os brasileiros. No filme de 45 segundos, Smith fala sobre os atributos da empresa em português, espanhol, francês e até japonês por meio do uso de inteligência artificial (IA). A brincadeira busca mostrar como a Nomad consegue romper fronteiras, seja para investir no exterior ou utilizar o cartão de débito.

O vídeo foi criado pela agência David e conta com a produção da O2, além da direção de fotografia de César Charlone, conhecido por seu trabalho em 'Cidade de Deus'. O plano de marketing é abrangente, incluindo veiculação em TV paga e aberta, streaming, plataformas digitais e mídias sociais, além de anúncios out of home em locais estratégicos como o Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP), onde a Nomad conta com uma sala vip.

A escolha do ator americano, de acordo com a executiva, está diretamente ligada à sua popularidade e conexão com o público brasileiro. Com quase 70 milhões de seguidores no Instagram, sendo 20% deles brasileiros, ele possui uma base de fãs significativa no país. Além disso, o Brasil lidera a lista de espectadores dos filmes em que atua.

"A campanha representa o primeiro marco deste novo momento, não apenas em termos de marketing, mas também do ponto de vista dos negócios. Até agora, a gente vinha trabalhando a marca principalmente por meio do uso do nosso cartão de débito internacional para viagens, mas a Nomad é mais do que isso”, afirma.

yt thumbnail

Novas frentes de receita

A fintech chegou ao mercado oferecendo soluções financeiras internacionais para viagens, como conta-corrente em dólar, envio de remessas internacionais e um cartão de débito aceito em mais de 180 países. Desde então, expandiu o portfólio de serviços de investimentos, incluindo fundos selecionados, Renda Fixa, ETFs, REITs, entre outros. Em 2022, a Nomad ainda adquiriu a Husky, startup de transferências internacionais de dinheiro, e no último dia 18, anunciou a aquisição do Melhor Câmbio, marketplace de câmbio turismo.

Segundo a diretora de marketing, nos últimos 18 meses, o volume de ativos sob custódia cresceu mais de 40 vezes. Hoje, a cada cinco novas contas abertas, uma é destinada a investimentos. “Aumentamos nossa taxa de conversão e nos posicionamos entre as três empresas com maior volume de ativos sob custódia no exterior. Trata-se de uma escalada grande, porém muitas pessoas ainda não estão cientes de nossa oferta de investimentos internacionais e de sua importância na gestão patrimonial", complementa.

Além de fortalecer a estrutura da companhia, como tecnologias, processos e serviços, parte dos fundos do aporte adquirido em agosto do ano passado vem sendo utilizado para investimentos em marketing e construção de marca. A estratégia engloba campanhas, trabalho de educação financeira, implementação de uma nova estratégia de CRM e integração com o time de aquisição, redefinição do posicionamento, propósito e tom de voz, com foco em awareness.

"Antes da minha chegada, as ações eram desenvolvidas de forma isolada, quase como se fossem duas marcas diferentes. Percebemos que, para sermos mais competitivos, precisávamos apresentar a Nomad como uma marca completa, seja para quem precisa viajar ou investir. Até porque são necessidades muito parecidas”, explica Nicolau.

Para 2024, a empresa segue com um pipeline acelerado de novas funcionalidades e produtos a serem lançados, com o objetivo de abrir novas frentes de receita e dobrar de tamanho. Em agosto do ano passado, a fintech chegou a ser avaliada em 1,8 bilhão de reais. Questionada sobre como a Nomad quer ser vista a partir de agora, a executiva responde: “Como a melhor aliada para todas as necessidades relacionadas à vida financeira internacional das pessoas.”

+Galeria: As 10 marcas mais presentes nos lares brasileiros

Acompanhe tudo sobre:investir-no-exteriorViagensestrategias-de-marketingInvestir Nomad

Mais de Marketing

TNT lança proposta de R$ 10 bilhões para assegurar transmissão da NBA

Vale investe em campanha para se aproximar do consumidor final; diretor explica estratégia

Estrelas pagam R$ 66 mil por curso de negócios na Harvard

Google decide manter cookies; entenda o que isso significa para os anunciantes

Mais na Exame