Marketing

Ressaca? Cimed lança nova linha de produtos para antes, durante e depois de beber

Farmacêutica estreia no segmento antirressaca com Ressaliv e prevê faturar R$ 100 milhões; cantor Nattanzinho é o embaixador da marca

João Adibe: CEO da Cimed quer faturar R$ 100 milhões com Ressaliv (Erich Shibata)

João Adibe: CEO da Cimed quer faturar R$ 100 milhões com Ressaliv (Erich Shibata)

Juliana Pio
Juliana Pio

Editora-assistente de Marketing e Projetos Especiais

Publicado em 24 de outubro de 2023 às 17h05.

Última atualização em 25 de outubro de 2023 às 09h35.

Como parte da estratégia de explorar novas categorias e ampliar o leque de consumidores, a Cimed anuncia nesta terça-feira, 24, com exclusividade à EXAME, o lançamento da marca Ressaliv, aposta da farmacêutica para estrear no segmento de produtos antirressaca e abocanhar fatia desse mercado que movimenta cerca de R$ 450 milhões no Brasil, segundo a Iqivia.

A novidade, que estará disponível ao público em breve, surge menos de um mês após o sucesso de Carmed BFF, linha de hidratantes labiais com as atrizes Larissa Manoela e Maísa, que vendeu R$ 40 milhões em apenas 20 minutos. Pouco antes, a companhia já havia faturado R$ 23,5 milhões com Carmed Fini, que viralizou nas redes sociais.

"Uma de nossas grandes metas é identificar outras categorias que possamos inovar para trazer mais consumidores para dentro das farmácias", diz João Adibe Marques, CEO da Cimed, em conversa com a reportagem. "Taí a prova do que aconteceu com Carmed. Queremos o mesmo com Ressaliv. Essa linha vem para coroar o nosso grande objetivo que é ser líder em OTC [medicamentos fora da prateleira] no Brasil", complementa.

Ressaliv contará com mais de um produto, como o Ressaliv Pré, suplemento alimentar em comprimido, que auxilia no funcionamento do fígado e prepara o organismo para ingestão de álcool, além de Ressaliv After, versão líquida com dois sabores, tangerina e citrus, e outros itens complementares para promover a recuperação, reidratação e revitalização do corpo.

“Diferentemente da concorrência, a família Reassliv contempla o antes, o durante e o depois. Criamos uma categoria com uma marca guarda-chuva para explorar outros canais de venda além das farmácias”, destaca o executivo, que vai fabricar 10 milhões de unidades do produto até 2024 e espera faturar em torno de 100 milhões de reais.

Nattanzinho como embaixador da marca

A Cimed investiu cerca de R$ 1 milhão para o desenvolvimento de Reassliv. "Mas o maior investimento será durante a colocação do produto na farmácia e material de trade, por se tratar de uma categoria que não existe no ponto de venda, ou seja, não há um espaço definido para ressaca", afirma o CEO.

Segundo ele, a ideia principal do lançamento é sair um pouco da sazonalidade do setor farmacêutico no Brasil e focar, principalmente, nas regiões Nordeste e Norte. “O segmento de produtos anti-ressaca tem um potencial enorme no Brasil. Somos um país tropical, com um povo festeiro e acolhedor. No Nordeste, faz calor o ano inteiro e é um dos principais polos de turismo do país."

O cantor cearense Nattanzinho, sucesso com os ritmos forró e piseiro, foi escolhido para ser o embaixador de Ressaliv, responsável por ativar o lançamento em seus shows, além de trazer conteúdos nas redes sociais. Num segundo momento, a empresa pretende patrocinar outras festividades, como o Carnaval.

"Queremos fazer um marketing mais intuitivo, além de mídia converncional, como TV e Rádio, e focar bastante no digital. Vamos usar o dia a dia do Nattan, para que ele possa aparesentar o produto de forma leve, diferentemente de merchandising. Queremos que Ressaliv viralize, assim como aconteceu com Carmed", salienta Adibe.

Expansão acelerada

Nos últimos anos, a Cimed, considerada uma das principais farmacêuticas brasileiras, vem combinando expansão acelerada de receita e de portfólio. Com produção e distribuição dos fármacos feitas por time próprio, a empresa conseguiu chegar a 98% das farmácias do país.

"É interessante ver como a transformação do canal farma traz oportunidades. A Cimed identificou isso e tem levado para o ambiente dos estabelecimentos, principalmente, os idendependentes, que são maioria no país e trabalham pouco o salão de loja", afirma o CEO da companhia. "Com a cadeia de distribuição própria, conseguimos financiar esse capital de giro para que os pequenos possam ter uma categoria nova, sem perder o fluxo de loja do medicamento."

Em 2022, a Cimed lançou 50 produtos — atualmente, são 600 no portfólio da companhia, que prevê faturar R$ 3 bilhões neste ano, e R$ 4 bilhões, em 2024.

Acompanhe tudo sobre:Indústria farmacêuticaestrategias-de-marketingbebidas-alcoolicas

Mais de Marketing

Cannes: CTO da OpenAI fala sobre desafios e oportunidades da IA na criatividade humana

A nova (e inusitada) estratégia da Ipiranga no mundo da moda que vai até Paris Fashion Week

Omo faz parceria com Vini Jr. e adota novo slogan após 20 anos; entenda a estratégia

Cristiano Ronaldo 'empreendedor' cria joint venture com empresa portuguesa de porcelana

Mais na Exame