Quaker vai mudar nome e imagem de cunho racista de marca tradicional

Empresa reconhece que origens dos produtos "Aunt  Jemima" se baseiam em um "estereótipo racial"

Um item básico das mesas de café da manhã nos Estados Unidos por gerações, a tradicional marca de mix de panquecas e xarope Aunt Jemima (Tia Jemima) ganhará um novo nome e imagem, anunciou a Quaker Oats nesta quarta-feira.

A companhia reconheceu que as as origens da Tia Jemima que batiza a marca e ilustra o rótulo se baseiam em um "estereótipo racial".

O anúncio da mudança acontece após a série de protestos antirracistas e contra a violência policial desencadeados nos EUA e em outros países pela morte do cidadão negro George Floyd por um policial branco na cidade americana de Minneapolis.

A marca de 130 anos apresenta uma mulher negra chamada Aunt Jemima (Tia Jemima, em português), que estava originalmente vestida como as antigas criadas das tradicionais famílias americanas daquela época. A marca foi registrada em 1893, embora a mistura de panquecas Aunt Jemima tenha estreado em 1889.

A imagem mudou com o tempo e, nos últimos anos, a Quaker removeu o lenço da cabeça da personagem para abrandar as crescentes críticas de que a marca perpetuava um estereótipo racista que data dos tempos da escravidão.

Agora, a Quaker afirma que remover a imagem e o nome faz parte de um esforço da empresa "para progredir em direção à igualdade racial".

"Reconhecemos que as origens da tia Jemima se baseiam em um estereótipo racial", disse Kristin Kroepfl, vice-presidente e diretora de marketing da Quaker Foods North America, em um comunicado à imprensa:

"Enquanto trabalhamos para progredir em direção à igualdade racial por meio de várias iniciativas, também devemos examinar com atenção nosso portfólio de marcas e garantir que elas reflitam nossos valores e atendam às expectativas de nossos consumidores".

Segundo reportagem da NBC News, a nova embalagem deverá ser lançada no outono deste 2020  nos EUA (primavera aqui no Brasil), e um novo nome para os alimentos será anunciado em breve.

A empresa também anunciou que doará pelo menos US$ 5 milhões nos próximos cinco anos "para criar suporte e envolvimento significativos e contínuos na comunidade negra".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.