Marketing
Acompanhe:

6 cases marcantes de social media, segundo Ian Black

Ian Black, sócio diretor da agência New Vegas, seleciona seis cases de campanhas que deram muito certo no Brasil


	Hellmann's: agências precisam aprender a lidar com o público e o contexto, diz especialista
 (Divulgação)

Hellmann's: agências precisam aprender a lidar com o público e o contexto, diz especialista (Divulgação)

L
Leonardo Araujo

Publicado em 18 de julho de 2014, 21h10.

São Paulo - Ian Black, sócio diretor da New Vegas, foi um dos palestrantes do primeiro dia de youPIX Festival 2014. Nesta quarta-feira (17), o profissional fez um apanhado de cases marcantes da social media no Brasil, mas antes fez um relato sobre a área no país e como exemplos recentes, como a Copa do Mundo, mostram o poder do meio.

Em 2007, quando começou na Riot, Ian explica que trabalhava na adaptação e veiculação de campanhas de clientes de grandes agências brasileiras. Adaptávamos estas campanhas para vender em blogs e também em comunidades do Orkut, lembra.

Para mim, social media não é só publicidade. Jornalismo pode ser social media, games podem ser social media, etc., explica para dizer por que pediu demissão da Wundermann em 2009 e apostou em projetos mais amplos.

Hoje, com a New Vegas, Ian atende clientes importantes como Bradesco e Heineken. Eu falo de coração: ‘eu tenho uma agência de social media’. Porque no Brasil começou um negócio de agência de social media ser uma coisa meio ruim, de segunda divisão, explica. Muitas vezes, segundo Ian, a campanha era (e ainda é) jogada nas mídias sociais, apenas com pequenas adaptações para o meio digital.

Não é assim que se conversa com o público nas redes sociais. Ian exemplifica o sucesso do jogador alemão Podolski nas redes. Ele entrou no contexto, soube dialogar com as pessoas, diz.

Nas mídias sociais, segundo o sócio e diretor da New Vegas, o conteúdo é rei, mas o contexto é Deus. A piada só vai funcionar se ela for contada na hora certa. O conteúdo só vai ser bom se ele tiver contexto, afirma.

É preciso que as marcas entendam o que as pessoas querem dizer, o que elas tão fazendo. Algumas, relata Ian Black, já acertaram e merecem destaque na história da social media brasileira.

Confira alguns exemplos citados pelo diretor da New Vegas em sua palestra:

2009 - Mil Casmurros

Case: a Globo iria lançar a minissérie Capitu, baseada na obra de Machado de Assis. Para divulgar a novidade, eles criaram a maior leitura coletiva de Dom Casmurro.

//player.vimeo.com/video/4198870

2013 – Extrato da Vida

Case: Ferramenta que reunia informações publicadas e interações ao longo da sua vida social via Facebook e apresenta o resultado num extrato ilustrado.

Acesse aqui.

2013 – Bradesco Google Glass

Case: Único no mercado, o app permite aos usuários dos óculos criados pelo Google localizar Agências, Máquinas de Autoatendimento do Bradesco e da Rede Banco24Horas mais próximas, entre outras funções.

//www.youtube.com/embed/5w5ccPR27Qw

2014 – Hellmann's - #PreparaPraMim

Case: Com o uso de uma hashtag, a Hellmann’s enviou receitas para os internautas via Twitter de acordo com o que eles tinham na galadeira.

//www.youtube.com/embed/MmbL2tFF8-M