Líderes Extraordinários

Está sendo ignorado pelo seu chefe? Entenda o que é ghosting no trabalho e como quebrar esse ciclo

Muito comum nos relacionamentos pessoais, o ghosting está se tornando cada vez mais frequente também nos relacionamentos profissionais

A normalização do ghosting está tão generalizada que há pessoas sendo ignoradas  pelos seus próprios gestores. (FangXiaNuo/Getty Images)

A normalização do ghosting está tão generalizada que há pessoas sendo ignoradas  pelos seus próprios gestores. (FangXiaNuo/Getty Images)

Publicado em 18 de junho de 2024 às 15h13.

Tenho visto posts no LinkedIn de candidatos em busca de trabalho sobre sua  frustração com recrutadores que, após uma ou mais entrevistas, param de  responder suas mensagens. Sim, fazem ghosting com candidatos em busca de uma  resposta sobre o status do processo seletivo.

De acordo com um recente artigo da CNBC, 40% dos candidatos entrevistados  reportaram ter sofrido ghosting. Apesar deste número ser do mercado americano,  minha sondagem com candidatos que participam de processos seletivos no Brasil  indica que isso é comum por aqui também.

Tradicionalmente associada ao mundo dos relacionamentos on-line, ghosting ocorre quando alguém interrompe abruptamente toda comunicação sem dar qualquer  explicação. A pessoa afetada se sente desrespeitada e é mais provável que perpetue um ciclo vicioso fazendo ghosting com alguém no futuro. Infelizmente,  este comportamento já é uma realidade entre profissionais de todas as áreas.

Nos processos seletivos para posições mais juniores que minha equipe toca, com  candidatos entre 22 e 27 anos, 30% dos candidatos não comparecem às entrevistas  agendadas, e a grande maioria nem sequer avisa!

Recebo também reclamações de ghosting dos times comerciais com quem  converso. Trabalham horas em propostas que nem sequer são respondidas.  Tentam contato por diversas vezes apenas em busca de um feedback e… nada. Não  estou falando de vendedores invasivos que tentam contatos não solicitados. São  propostas que foram pedidas pelo cliente! Às vezes, com urgência e que  demandaram trabalho no final de semana.

Está na hora de quebrarmos este ciclo, de cada um de nós entender que toda  interação, mesmo comercial, é uma oportunidade de demonstrar respeito.  Gosto de uma famosa frase que diz “Respeito é tratar todos da mesma forma e  não apenas aqueles que te interessam”.

Relações de trabalho não são entre empresas, são entre pessoas. Empresas não  fazem recrutamento ou propostas. São pessoas que estão ali, do outro lado, muitas  vezes pressionadas e precisando muito daquela oportunidade ou feedback. Não  custa nada...em menos de um minuto, todo mundo é capaz de escrever algo como  "Obrigado pelo contato e por seu trabalho nesta proposta, infelizmente, por conta  de X, Y ou Z não seguiremos com ela neste momento”.

A normalização do ghosting está tão generalizada que há pessoas sendo ignoradas  pelos seus próprios gestores. Muitas vezes, estão apenas buscando orientação ou  uma resposta simples. Sofrem ghosting justamente de quem não poderia fazer isso  de jeito nenhum! Imagine o desengajamento que isso gera.

O crescimento do ghosting nos ambientes de trabalho é um sinal da queda nos  padrões de comportamento profissional e do valor que, atualmente, damos para as  relações. Cabe a nós escolher qual ciclo vamos alimentar. Ele pode ser vicioso ou  virtuoso. Convoco todos a escolher o ciclo virtuoso de respeito e consideração com  as pessoas.

Acompanhe tudo sobre:Líderes ExtraordináriosLiderança

Mais de Líderes Extraordinários

A inteligência artificial a serviço da jornada do paciente

Como se tornar um empresário comprando uma empresa

Apaixone-se pela incerteza: a estabilidade é desestabilizante, e a previsibilidade é uma ilusão

A governança para herdeiros

Mais na Exame