PicPay agora deixa você emprestar dinheiro para empresas

Em troca, usuários recebem remuneração que pode chegar a 147% do CDI por ano
PicPay: conglomerado do app, JBS, empresa de energia solar e ubanismo são as primeiras opções de investimento na plataforma (Rogério Cassimiro/Divulgação)
PicPay: conglomerado do app, JBS, empresa de energia solar e ubanismo são as primeiras opções de investimento na plataforma (Rogério Cassimiro/Divulgação)
Marília Almeida
Marília AlmeidaPublicado em 03/11/2022 às 08:00.

O PicPay acaba de lançar o empréstimo P2P para empresas. Ou seja, a partir de agora a plataforma irá deixar que os usuários possam emprestar para companhias diretamente pelo app. O retorno da aplicação é de até 20,15% ao ano, o que representa 147% do CDI.

A modalidade de investimentos P2P Lending foi aprovada em 2018 pelo Banco Central com a criação da Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP), e tem o objetivo de conectar tomadores de dinheiro a investidores.

Para o tomador, pessoa física ou jurídica, a vantagem da modalidade é oferecer juros e condições, como prazo e valores, melhores e mais simples de contratar do que pedir um empréstimo no banco, por exemplo. O investidor tem mais uma opção de diversificar o portfólio com uma rentabilidade anual maior do que a registrada em outras aplicações.

Inicialmente, os usuários que desejarem investir vão poder adquirir cotas de empresas do Grupo J&F, conglomerado do qual o PicPay faz parte. Também será possível emprestar dinheiro para a Âmbar Energia, empresa que atua na geração de energia térmica e solar e na transmissão, comercialização e prestação de serviços ligados à energia elétrica; Flora Urbanismos, empresa que desenvolve projetos imobiliários e urbanísticos. A JBS, que também faz parte do conglomerado do PicPay, deve entrar na plataforma nos próximos dias.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Os valores desejados pelas empresas no empréstimo serão divididos em cotas e distribuídos para os investidores, que podem aplicar no máximo R$ 15 mil por companhia, segundo as regras da modalidade.

Condições como prazos, taxas de retorno e risco variam de acordo com o contrato. Todas as empresas passam por análise de crédito e, antes de adquirir a cota, o investidor terá acesso a um documento com informações sobre a saúde financeira da companhia e o risco da operação.

Como investir

A nova funcionalidade já está disponível para toda a base de usuários do app. Basta clicar em “Carteira”, “Investir” e encontrar a opção “Investir no Clube de Empréstimo”. No clube, é possível contratar tanto as ofertas de empresas quanto as de pessoas que pedem dinheiro emprestado.

Para o investidor, a modalidade é uma opção para diversificar o portfólio, enquanto para as empresas é uma forma rápida, com menos burocracia e sem IOF de obterem recursos para financiarem projetos.

Desde o ano passado, o PicPay permite que pessoas invistam e peçam emprestado dinheiro de outras pessoas no Clube de Empréstimos. A base de investidores cresce cerca de 25% por mês e o volume captado já é 10 vezes maior do que nos primeiros meses.

 

Veja Também

Onde investir o 13º salário em 2022
Minhas Finanças
Há 3 dias • 5 min de leitura

Onde investir o 13º salário em 2022

3 perguntas de ESG para Victor Bicca, da Abir
Um conteúdo Bússola
Há 4 dias • 5 min de leitura

3 perguntas de ESG para Victor Bicca, da Abir