Invest

Laatus lança alternativa gratuita ao terminal Bloomberg para o varejo

A ferramenta, chamada Panorama Laatus, conta com 50 mil usuários e, agora, na versão 2.0, deve atingir 200 mil até o fim de 2023

Panorama Laatus: ferramenta visa democratizar acesso à informação para investidor de varejo (Laatus/Divulgação)

Panorama Laatus: ferramenta visa democratizar acesso à informação para investidor de varejo (Laatus/Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de fevereiro de 2023 às 07h03.

Última atualização em 6 de fevereiro de 2023 às 09h36.

Uma plataforma com cotações nacionais e internacionais dos mais variados ativos, indicadores econômicos e notícias em tempo real totalmente gratuita. Assim pode ser definida a ferramenta criada pelo Grupo Laatus, a maior escola de formação de traders no país. Disponibilizada ao mercado nesta semana, a ‘versão 2.0’ da Panorama Laatus (www.panoramalaatus.com.br) é focada no investidor de varejo. A primeira versão do produto, lançada no ano passado, já conseguiu 50 mil usuários. Agora, com mais dados e maior possibilidade de customização, a meta da companhia é levar esse número para 200 mil até dezembro.

“O varejo é o grupo que mais tem deficiência de boas informações de graça. É uma dificuldade que eu tive no passado e sei como é enfrentá-la. Ao criar a ferramenta, unimos dois interesses, o de prestar serviços para quem está no mercado e não tem grande capacidade de pagamento e captar leads de forma mais barata”, diz Jefferson Laatus, sócio-fundador, CEO e estrategista-chefe do Grupo Laatus, em entrevista à Exame Invest.

O principal ponto favorável para o crescimento é a quantidade de acessos a diferentes recursos que o usuário consegue ter. Além de apresentar notícias em tempo real, a plataforma consegue, a cada declaração de autoridades ou pronunciamentos, transmitir highlights (traduzidos, em caso de pronunciamentos em inglês). Os indicadores são incorporados à plataforma em tempo real e cotações do mundo inteiro. 

“A ideia é que a plataforma vire uma grande comunidade gratuita para o mercado financeiro”, diz Laatus. Ainda do lado de dentro de casa, a companhia desenvolveu a ferramenta apenas com o próprio time de tecnologia, em um custo estimado de R$ 6 mil. O diferencial, na visão da empresa, está ligado ao fato de que são profissionais com ampla experiência no mercado financeiro, construindo um produto final "de trader para trader".

É uma proposta nova no mercado. A semelhança mais clara, olhando para a oferta à pessoa física, estaria com o Trademap, que tem uma versão básica gratuita, mas exige pagamento para disponibilizar mais informações. Os planos mensais começam em R$ 54 e vão até R$ 290. Do lado do investidor institucional, o terminal Bloomberg é o “espelho” a ser considerado, cujos planos custam, em média, US$ 1,5 mil por mês.

O crescimento do investidor de varejo na bolsa faz o resto. De acordo com um estudo da B3 relacionados ao segundo e terceiro trimestres de 2022 na comparação com o mesmo período de 2021, o número de pessoas físicas com ativos em renda variável cresceu 35%, totalizando 4,6 milhões de CPFs. Em meio à escalada dos juros, a corrida pela renda fixa também aconteceu, com investidores dessa classe de ativos somando 12,6 milhões de pessoas (eram 9,6 milhões em 2021).

“Os números mostram que o brasileiro continua buscando oportunidades e diversificação de investimentos, seja em produtos de bolsa ou de renda fixa. Esses dados demonstram que ainda há um enorme potencial no país e que milhões de pessoas já começaram a diversificar sua carteira para além da tradicional poupança. Isso explica o saldo positivo e crescimento recorrente do número de pessoas físicas nos últimos anos”, afirma Felipe Paiva, diretor de Relacionamento com Clientes e Pessoa Física da B3, no relatório.

Acompanhe tudo sobre:Finanças

Mais de Invest

Por que as ações do Banco do Brasil (BBAS3) preocupam essa analista?

Dólar bate máxima em 15 meses e mercado já fala em novo normal

As melhores ações para investir em junho; Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4) estão na lista

Como sacar a restituição do imposto de renda 2024?

Mais na Exame