Invest

UBS anuncia mudanças na diretoria em etapa final da fusão com Credit Suisse

As alterações fazem parte da consolidação da estrutura do conglomerado após a compra do rival Credit Suisse, fechada no ano passado

Prédio do UBS em Londres (Cate Gillon//Getty Images)

Prédio do UBS em Londres (Cate Gillon//Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 30 de maio de 2024 às 13h42.

O banco suíço UBS anunciou, hoje, 30, uma série de mudanças em sua alta administração. As alterações fazem parte da consolidação da estrutura do conglomerado após a compra do rival Credit Suisse, fechada no ano passado. A fusão entre os dois bancos ocorrerá amanhã, 31.

O banco vai mudar os comandos na Ásia, nas Américas e também promoverá alterações no corpo diretivo do Grupo, ou seja, que toca a administração do UBS em escala global. Todas as alterações devem se tornar efetivas no dia 1º de julho.

A partir da fusão entre os dois bancos, o "novo" UBS terá uma holding intermediária nos Estados Unidos. "A conclusão destes passos (a fusão e a criação da holding) é outro passo importante em nossa jornada de integração, e nos permite fortalecer ainda mais o poder da organização combinada", afirmou o UBS em comunicado.

Nas mudanças de executivos, um dos marcos é a aposentadoria do CEO do Credit Suisse, Ulrich Körner, que deixará a diretoria executiva após a fusão dos dois bancos. Os executivos que assumirão novos postos são predominantemente provenientes do UBS.

Também deixará a diretoria do Grupo Edmund Koh, atual presidente do UBS na Ásia-Pacífico, que continuará como conselheiro regional. O executivo Iqbal Khan assumirá a presidência do UBS na Ásia-Pacífico, cargo que acumulará com o de co-presidente de Global Wealth Management (GWM). Ele terá a Ásia como base, e será a primeira vez que um chefe de divisão do UBS estará na região.

Rob Karofsky será o presidente do UBS Americas e co-presidente do GWM. Ele era presidente do banco de investimento do UBS desde 2021. Junto com Khan, terá a missão de fazer uma oferta global de gestão de patrimônio "sem precedentes", de acordo com o banco.

O atual presidente do UBS Americas, Naureen Hassan, vai se aposentar a partir de julho.

Na administração do grupo, George Athanasopoulos e Marco Valla serão os co-presidentes do banco de investimento. Damian Vogel se tornará o vice-presidente de Riscos, e fará um período de transição até o final do ano com o atual chefe da área, Christian Bluhm, que se aposentará.

Já o atual chefe de Recursos Humanos e Serviços Corporativos, Stefan Seiler, passará a cuidar também das áreas de Comunicação e Marca.

Cerca de um mês antes, o UBS também fará mudanças na América Latina. Em 1º de junho, Daniel Bassan, atual CEO do UBS BB, sociedade entre o grupo suíço e o Banco do Brasil em banco de investimento, assumirá o comando do UBS tanto no Brasil quanto na América Latina. Ele sucederá a Sylvia Coutinho, que deixará o banco no final deste ano.

Para o posto de Bassan no UBS BB, foi escalado Daniel Barros, atual chefe de mercados globais do grupo no Brasil.

Acompanhe tudo sobre:Credit SuisseUBSBancos

Mais de Invest

Ibovespa abre em alta mesmo com IPCA acima do esperado

2 gatilhos que podem fazer a bolsa disparar e uma ação para ter em junho

IPCA, cautela na Europa, produção de petróleo e queda do minério de ferro: o que move o mercado

Calendário de licenciamento de 2024: Detran-SP divulga datas para pagamento; veja

Mais na Exame