Invest

UBS anuncia recompra de ações e que fusão com Credit Suisse será concluída até junho

Banco mostrou um retorno mais rápido do que o esperado na gestão de patrimônio do Credit Suisse desde a aquisição, concluída em junho de 2023

Além da recompra de papéis, o UBS planeja pagar $ 0,70 em dividendos por ação, valor 27% maior do que no ano passado (Arnd Wiegmann/File Photo/Reuters)

Além da recompra de papéis, o UBS planeja pagar $ 0,70 em dividendos por ação, valor 27% maior do que no ano passado (Arnd Wiegmann/File Photo/Reuters)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 6 de fevereiro de 2024 às 08h57.

O banco suíço UBS, anunciou nesta terça-feira,6, que superou as expectativas de lucros no quatro trimestre de 2023 e que fará recompras de ações no valor de até US$ 1 bilhão no segundo semestre do ano.

Além da recompra de papéis, o UBS planeja pagar $ 0,70 em dividendos por ação, valor 27% maior do que no ano passado.

O grupo registrou prejuízo líquido de US$ 279 milhões no último trimestre de 2023, o segundo consecutivo em razão dos custos com a integração do Credit Suisse. Os analistas, porém, esperavam um número pior - na casa dos US$ 372 milhões.

No terceiro trimestre, o UBS registrou um prejuízo líquido maior do que o esperado, de US$ 785 milhões – que incluiu US$ 2 bilhões em despesas relacionadas à integração do Credit Suisse.

Após esse número, o mercado optou por se concentrar no forte lucro operacional do banco antes de impostos, que ficou bem acima das expectativas. No quarto trimestre, o valor foi de US$ 592 milhões, abaixo do consenso compilado pela empresa de US$ 762 milhões.

“Estou muito satisfeito que tenhamos visto uma boa rentabilidade e também um bom impulso com os clientes. Tivemos US$ 22 bilhões em novos ativos líquidos e também vimos bons números tanto na gestão de patrimônio quanto na parte de banco pessoal e corporativo. Também tivemos uma exposição reduzida em ativos não essenciais”, disse o CEO do UBS, Sergio Ermotti, à rede CNBC na terça-feira.

"Conseguimos também cortar US$ 4 bilhões em custo no ano passado. Tudo isso contribuiu para bons resultados e isso nos dá confiança para agora enfrentar a próxima fase de nossa reestruturação e integração", completou o executivo.

Até agora, o UBS mostrou um retorno mais rápido do que o esperado nos fluxos de clientes para o negócio de gestão de patrimônio do Credit Suisse desde a aquisição, concluída em junho de 2023.

O banco ainda disse nesta terça-feira que a primeira fase da integração já foi concluída e que a fusão completa deve terminar até o final do segundo trimestre.

O UBS planeja cortar 3 mil empregos do Credit Suisse nessa sequência do processo de reestruturação.

Acompanhe tudo sobre:UBSCredit Suisse

Mais de Invest

Renda passiva: veja como fazer o dinheiro trabalhar por você

Casal que ganhou R$ 324 milhões em loteria americana perde fortuna com investimentos mal-sucedidos

INSS volta a exigir perícia médica para prorrogar 'auxílio-doença'; entenda

Conheça as vantagens do Cartão BTG Black e saiba como pedir o seu

Mais na Exame