Acionistas da Tesla (TSLA34) aprovam desdobramento de ações

Nos quatro meses entre o anúncio do desdobramento e a votação as ações da Tesla voltaram a subir na Nasdaq
Tesla (TSLA34) (Michele Tantussi/Reuters)
Tesla (TSLA34) (Michele Tantussi/Reuters)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 05/08/2022 às 09:25.

A assembleia dos acionista da Tesla (TSLA34) aprovou na última quinta-feira, 4, o desdobramento da ações com a proporção de três para um.

A divisão reduzirá o valor das ações da Tesla para a faixa de US$ 300. Entretanto, a fabricante de veículos elétricos não especificou a data exata quando o desdobramento será realizado.

O desdobramento de ações é realizado quando os papéis de uma empresa valorizam de forma expressiva, e acabam ficando inacessíveis para os pequenos investidores.

A Tesla havia anunciado seu plano de desdobramento de ações pela primeira vez no dia 28 de março.

Nos quatro meses entre o anúncio do desdobramento e a votação por parte dos acionistas as ações da Tesla na Nasdaq voltaram a subir, passando de cerca de US$ 628 para US$ 925.

Somente em junho, os papéis da fabricante de carros elétricos subiram 32%, o mês com melhor desempenho desde o outubro do ano passado.

Segundo desdobramento da ações da Tesla (TLSA34) em menos de dois anos

Para a Tesla, este será o segundo desdobramento de ações em menos de dois anos.

A empresa já realizou a mesma operação em 2020, com um desdobramento das ações de cinco para um.

Também naquela ocasião as ações da empresa se valorizaram - em cerca de 60% - no período entre o anúncio e a data da execução do desdobramento.

A Tesla registrou resultados mistos no segundo trimestre no mês passado, superando as expectativas dos analistas.

O lucro líquido da Tesla foi de US$ 2,5, bilhões, alta de 98% em relação ao mesmo período do ano passado, quando tinha sido de US$ 1,14 bilhão.

Entretanto, na comparação trimestral, o lucro líquido da montadora de carros elétricos diminuiu de quase 50%, pois nos primeiros três meses do ano a empresa lucrou US$ 3,31 bilhões.

A receita total foi de US$ 16,93 bilhões, alta de 42% na comparação com o segundo trimestre de 2021, quando tinha sido de US$ 11,95 bilhões.

A produção da Tesla foi afetada pelas interrupções contínuas na cadeia de suprimentos e pelo fechamento de uma fábrica na China por causa dos lockdowns impostos pelo governo da China para conter os surtos de coronavírus.