Invest

Suzano, Marfrig, Rabobank e Vale investem R$ 80 milhões em empresa de preservação florestal

Itaú e Santander aguardam aprovação do Banco Central para fazerem aportes como investidores

Biomas: empresa de preservação florestal vai criar projetos de comercialização de crédito de carbono (Havita Rigamonti/Imazon/Ideflor/Reprodução)

Biomas: empresa de preservação florestal vai criar projetos de comercialização de crédito de carbono (Havita Rigamonti/Imazon/Ideflor/Reprodução)

Raquel Brandão
Raquel Brandão

Repórter Exame IN

Publicado em 27 de fevereiro de 2023 às 19h39.

Última atualização em 27 de fevereiro de 2023 às 19h54.

Três empresas de commodities e três bancos se uniram para criar a Biomas, uma empresa de preservação florestal. A empresa tem como meta alcançar área de 4 milhões de hectares de matas nativas protegidas em diferentes biomas brasileiros, como Amazônia, Mata Atlântica e Cerrado, em até duas décadas.

Criada por Suzano, Vale, Marfrig, Itaú Unibanco, Santander Brasil e Rabobank, a Biomas foi apresentada na Conferência do Clima COP27, que aconteceu no fim do ano passado, no Egito.

Nesta segunda-feira, 27, as companhias concluíram o acordo para o aporte na Biomas. Cada companhia investirá R$ 20 milhões. Itaú e Santander aguardam aprovação do Banco Central para entrarem como investidores.

Milhões em investimento

Com modelo de negócio baseado na comercialização de créditos de carbono, a empresa nasce com a ambição de conservar 2 milhões de hectares e restaurar mais 2 milhões de hectares de áreas degradadas, a partir do plantio de, aproximadamente, 2 bilhões de árvores nativas.

Os R$ 20 milhões investido por cada empresa parceira é para os primeiros anos de atuação da Biomas.

Na COP27, as empresas comentaram que devem reduzir aproximadamente 900 milhões de toneladas de carbono durante o período de duas décadas - contribuindo para a proteção de mais de 4.000 espécies de animais e plantas.

Outro objetivo do grupo é contribuir para estimular o desenvolvimento regional e o fortalecimento das comunidades locais com seu envolvimento na cadeia de valor.

 

Acompanhe tudo sobre:CarbonoFlorestasItaúMarfrigPreservação ambientalSantandersuzanoVale

Mais de Invest

‘Independência financeira liberta’: Women in Finance discute gestão patrimonial para mulheres

Bancos centrais compram um quinto do ouro do mundo e querem aumentar aposta

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Ibovespa sobe e recupera os 120 mil antes de decisão do Copom; dólar bate máxima em 18 meses

Mais na Exame