Payroll, rede da Binance sob ataque, Credit Suisse que recompra dívida e o que mais move o mercado

Os mercados internacionais estão operando sem direção definida aguardando os dados sobre a criação de empregos nos EUA
NYSE - The New York Stock Exchange - Bolsa New Yorque - Nova Iorque - Pregão - Internacional - juros - americano - EUA (Leandro Fonseca/Exame)
NYSE - The New York Stock Exchange - Bolsa New Yorque - Nova Iorque - Pregão - Internacional - juros - americano - EUA (Leandro Fonseca/Exame)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 07/10/2022 às 07:31.

Última atualização em 07/10/2022 às 18:06.

As Bolsas de Valores estão operando em leve alta na Europa nesta sexta-feira, 7, mas com fortes quedas na Ásia, enquanto os futuros dos Estados Unidos ainda estão sem uma direção definida, aguardando os números da criação de novas vagas (payroll) e da taxa de desemprego, que serão divulgados as 9h30 horário de Brasília.

Para os investidores, o payroll é o indicador econômico mais importante da semana, pois indica qual poderia ser o rumo da política monetária do Federal Reserve (Fed). A expectativa dos analistas é que o número de empregos criados seja de 275 mil, deixando a taxa de desemprego nos EUA estável em 3,7%. Caso os números sejam mais fracos, o mercado poderia precificar um aperto monetário menor por parte do Fed, e Wall Street poderia se beneficiar.

Os Estados Unidos estão vivendo uma condição de pleno emprego há meses, com a taxa de desemprego abaixo do nível considerado "natural", de 5%. Segundo os analistas entrevistados pelo jornal The Wall Stret Journal, o relatório de emprego dos EUA para setembro mostrará se o mercado de trabalho continuou a esfriar no mês passado, com a alta inflação e o aumento das taxas de juros pesando sobre a economia.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Desempenho dos indicadores às 7h25 (de Brasília):

  • Dow Jones futuro (Nova York): + 0,14%
  • S&P 500 futuro (Nova York): + 0,01%
  • Nasdaq futuro (Nova York): - 0,23%
  • DAX (Frankfurt): + 0,04%
  • CAC 40 (Paris): + 0,15%
  • FTSE 100 (Reino Unido): +0,19%
  • Stoxx 600 (Europa): + 0,20%
  • Hang Seng (Hong Kong): - 1,51%
  • Shangai Composite (Xangai): - 0,55%

Petróleo e minério de ferro em alta

As cotações dos futuros do petróleo estão em alta nesta sexta-feira. Os futuros do petróleo Brent, que é referência para a Petrobras, está em alta de 0,85%, enquanto as cotações do WTI estão em alta de 0,88%. Os futuros do minério de ferro também estão subindo, de 0,21% na Bolsa de Dalian, na China.

Americanas (AMER3): Conselho aprova emissão de R$ 1 bi em debêntures

O conselho de administração da varejista Americanas (AMER3) aprovou na última quinta-feira, 6, uma nova emissão de debêntures da companhia, no valor de R$ 1 bilhão.

Ainda em junho a empresa já havia feito uma emissão de debêntures para captar R$ 2 bilhões. Assim como na captação de junho, a nova emissão tem objetivo, segundo a empresa, de "fazer frente" ao vencimento de dívidas em 2022 e 2023.

A 18ª emissão de debêntures da companhia será de distribuição pública e esforços restritos, exclusiva a investidores profissionais. Serão 100 mil debêntures com preço de emissão de R$ 10 mil cada e prazo de vencimento de cinco anos e remuneração de taxa DI + 1,55%.

Copel (CPLE6) adquire complexos eólicos da EDP Renováveis (ENBR3) por R$1,8 bi

A estatal paranaense de energia Copel (CPLE6) anunciou na noite desta quinta-feira, 6, que fechou contrato com a EDP Brasil (ENBR3) para a aquisição de 100% dos complexos eólicos de Santa Rosa & Mundo Novo e Aventura.

A aquisição de R$ 1,8 milhão faz parte da estratégia da companhia de crescer no segmento de energia renovável.

Segundo fato relevante divulgado pela companhia, a compra “amplia a diversificação da matriz de geração e está totalmente aderente à sua política de investimentos”. São nove parques eólicos em operação, localizados nos municípios de Touros e São Tomé no Rio Grande do Norte, região considerada como uma das melhores do mundo para a geração de energia de fonte eólica, segundo a Copel.

Com a aquisição, a capacidade instalada de geração eólica consolidada da estatal será incrementada em 28%. Com a adição dessa capacidade, a fonte eólica passará a representar 17% do portfólio de geração de energia do Grupo Copel.

Entre os benefícios, estão o incremento de energia incentivada e a redução da exposição ao risco hidrológico, destaca a empresa. A operação será realizada via subsidiária Copel GeT, e ainda deve passar por aprovação em assembleia de acionistas.

Blockchain da Binance sofre furto de hacker por US$ 100 milhões

A BNB Chain, blockchain criado pela Binance, a maior corretora de criptoativos do mundo, sofreu um ataque hacker nesta sexta-feira, que provocou o furto de pelo menos US$ 100 milhões em tokens.

O ataque representa mais um golpe para a indústria de ativos digitais que luta para recuperar a confiança após um colapso nos preços dos últimos meses.

As operações na rede foram suspensas por pelo menos oito horas, segundo anunciado pela própria empresa. O ataque teve como alvo o BSC Token Hub, uma ponte entre dois sistemas do blockchain criado pela Binance.

Esse é mais um ataque hacker em larga escala do setor, que provocou o furto de quase US$ 2 bilhões este ano, quase o dobro do total registrado no ano passado.

Muitos ataques foram atribuídos a atores patrocinados pela Coreia do Norte.

Credit Suisse oferece recompra de US$ 3 bilhões de dívidas

O Credit Suisse, maior banco da Suíça, apresentou nesta sexta-feira, 7, uma oferta para recomprar até US$ 7 bilhões em títulos da dívida, em uma tentativa ulterior de acalmar os mercados.

Em comunicado, o Credit Suisse informou que “as transações se alinham com nossa abordagem proativa para gerenciar nossa formação de passivo agregado e otimizar despesas com juros e nos permitem aproveitar as condições de mercado para recompras de dívida atraentes”.

Isso ocorre depois que as ações do Credit Suisse atingiram a mínima histórica no início desta semana, e os Credit Default Swaps (CDS) de default atingiram um recorde, em meio a dúvidas do mercado sobre o futuro do banco suíço.