Macau fecha cassinos e entra em lockdown para conter surto de Covid-19

O lockdown chega após uma tentativa de conter o vírus sem afetar duramente o setor do jogo de azar, fundamental para a economia local
 (Getty Images/Exame)
(Getty Images/Exame)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 10/07/2022 às 17:31.

A cidade chinesa de Macau, no sul do país asiático, vai entrar em lockdown a partir desta segunda-feira, 11, para tentar conter um surto de Covid-19.

A decisão foi tomada pelas autoridades chinesas, que decretaram o fechamento dos cassinos da antiga colônia portuguesa. Macau é famosa por ser uma "enclave do jogo de azar" na China.

Somente serviços essenciais, como supermercados, unidades de saúde e restaurantes que entregam comida, poderão permanecer abertos.

Todos os outros negócios foram obrigados a fechar por uma semana, e os moradores de Macau deverão ficar em casa.

As autoridades locais pediram que os cidadãos não entrem em pânico e não estoquem alimentos, realizando compras em horários escalonados para permitir o distanciamento social nas filas.

Todos os adultos que precisarão deixar suas casas serão obrigados a usar máscaras padrão KN95 ou superior. Quem descumprir a ordem pode ser condenado à prisão.

Decisão tomada para tentar conter a Covid-19 em Macau

A decisão de lockdown em Macau foi tomada pelo chefe do executivo local, Ho Iat-seng, para tentar conter um surto de Covid-19 que já tinha fechado cinemas, academias, piscinas e outros locais públicos desde o final de junho.

O lockdown chega após uma tentativa de conter o vírus sem afetar duramente o setor do jogo de azar, fundamental para a economia local, que depende por 80% das atividades dos cassinos.

O próprio Ho Iat-seng tinha declarado que o fechamento de todos os cassinos “afetaria muitos os funcionários". Por isso, os mais de 40 cassinos da cidade foram autorizados a continuar suas operações até esta segunda.

Entretanto, nas últimas semanas, a cidade chinesa registrou centenas de casos de coronavírus, o pior surto desde o começo da pandemia, colocando em xeque a estratégia de "zero Covid" do governo chinês.

Por isso, o governo local voltou atrás e decretou o lockdown generalizado.

Macau tem uma população de cerca de 650.000 habitantes, e durante a pandemia manteve medidas rigorosas de contenção da Covid-19, chegando a impor quarentenas para viajantes de até 28 dias.

Ainda hoje, só podem visitar Macau os residentes de Hong Kong, Taiwan e China continental. E, mesmo assim, a maioria deles deve respeitar uma quarentena de 10 dias na chegada.