Invest

Ibovespa reduz perdas após falas de Haddad, mas volta a ter pior fechamento do ano

Temor fiscal ainda pesa sobre o humor do mercado, apesar de sinalizações de corte de gastos e revisão de despesas

Ibovespa: bolsa opera em leve alta nesta quinta-feira, 13 (Germano Lüders/Exame)

Ibovespa: bolsa opera em leve alta nesta quinta-feira, 13 (Germano Lüders/Exame)

Publicado em 13 de junho de 2024 às 10h45.

Última atualização em 13 de junho de 2024 às 17h49.

O Ibovespa caiu 0,31% nesta quinta-feira, 13, e fechou no menor patamar do ano, em 119.568 pontos. Ainda pesa no radar o risco fiscal. Após tocar a mínima, no entanto, o mercado brasileiro diminuiu as perdas em repercussão a falas do ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

Haddad disse que o governo vai colocar propostas na mesa e manter um ritmo mais intenso de trabalho sobre a agenda de cortes de gastos, fazendo uma revisão ampla de despesas. As falas, dadas ao lado da ministra do Planejamento, Simone Tebet, vieram após um dia de intensa desconfiança do mercado quanto aos rumos fiscais do País. Na véspera, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) associou o equilíbrio fiscal com o aumento da arrecadação e a queda da taxa de juros -- sem mencionar um controle de gastos --, o que afundou a bolsa.

Havia também preocupação com a força do próprio Haddad, após o Senado ter devolvido a medida provisória (MP) que limitava a compensação de crédito do PIS/Cofins para a manutenção da política de desoneração da folha de empresas e municípios até 2027. Haddad disse não ter "plano B" para compensar a desoneração depois da devolução da MP.

Hoje, no entanto, a sinalização de Haddad ajudou a segurar as perdas no índice.

Ibovespa hoje

  • IBOV: - 0,31% aos 119.568 pontos

No cenário macroeconômico, as atenções ficaram com a divulgação de dois indicadores. Pela manhã, o Departamento de Trabalho americano divulgou o Índice de Preços ao Produtor (PPI, na sigla em inglês), que caiu 0,2% em maio ante abril. O número foi uma surpresa, já que os analistas consultados pelos LSEG e FactSet esperavam uma alta de 0,1% no mês.

Já o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a Pesquisa Mensal de Comércio de abril, que mostrou uma alta de 0,9% nas vendas no varejo, frente ao crescimento de 0,3% em março (dado revisado). O número veio bem abaixo das estimativas, que previam uma alta de 1,7%.

Apesar do número de abril ser três vezes superior ao de março, o economista André Perfeito pontua que o número abaixo das expectativas deve pesar mais. “De maneira geral o indicador veio de forma benigna. Apesar de subir quase 1%, ‘não veio tão bem quanto o esperado’, logo não deve jogar mais pressão sobre a decisão dos juros no Brasil. Devemos ver alguma desaceleração em maio quando o IBGE irá começar a capturar os efeitos do desastre do Rio Grande do Sul”, pontua.

Dólar hoje

O dólar caiu 0,73%, cotado a R$ 5,367. Na véspera, a moeda fechou a sessão em forte alta de 0,85% aos R$ 5,407, patamar mais alto desde janeiro de 2023.

Como é calculado o índice Bovespa?

Principal índice de ações da bolsa brasileira, a B3, o Ibovespa é calculado em tempo real, baseado na média do desempenho dessa carteira teórica de ativos, cada uma com seu peso na composição do índice.

Funcionando como um termômetro do desempenho consolidado das principais ações para o mercado, cada ponto do Ibovespa equivale a 1 real. Por isso, se o IBOV está em 100.000 pontos, isso quer dizer que o preço da carteira teórica das ações mais negociadas é de 100.000 reais.

Que horas abre e fecha a bolsa de valores?

O horário de negociação na B3 vai das 10h às 17h. A pré-abertura ocorre entre 9h45 e 10h, enquanto o after-market ocorre entre 17h25 e 17h45. Já as negociações com o Ibovespa futuro ocorrem entre 9h e 16h55.

Acompanhe tudo sobre:IbovespaDólarbolsas-de-valoresVarejoFed – Federal Reserve System

Mais de Invest

Hapvida (HAPV3) vai investir até R$ 600 milhões em novos hospitais em SP e RJ

Ministério da Justiça realiza leilão de 54 quilos de ouro; veja como participar

5 frases que todo investidor precisa saber

"O mundo está passando por um processo grande de transformação", diz André Leite, CIO da TAG

Mais na Exame