Mercados

Brascan prefere ações da CPFL e Cemig no setor elétrico

Corretora prevê reaquecimento no ramo para 2010, com aumento de demanda e consumo

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 27 de março de 2010 às 17h52.

São Paulo - A corretora Brascan, mudou sua previsão para o cenário do setor elétrico no Brasil em 2010. Para os analistas, a melhor escolha dos investidores no setor de energia são as ações ordinárias da CPFL, que tem preço-alvo de 44,85 reais. A Cemig aparece em segundo lugar, com suas ações preferenciais valendo 37 reais. Na lista de "outperform" (que devem ter desempenho acima da média do mercado), a Brascan também destaca a Light e a Tractebel.

A preferência pelas ações da CPFL Energia é fruto da diversificação das atividades de geração, distribuição e venda da energia, segundo a Brascan. A corretora acredita que a empresa foca seus resultados em opções rentáveis para os acionistas, o que ajuda na valorização dos papéis. O aumento do valor-alvo dos ativos da CPFL representa uma alta de 23,6% em comparação ao preço de fechamento de quarta-feira (20/01), que foi de 36,30 reais.

A exposição da produção da Cemig à indústria, de 50% de suas vendas, aliada à aquisição de uma participação maior no capital social da Light são considerados pontos positivos para a companhia ser prevista como a segunda colocada no rendimento de ações em 2010. A análise da corretora é de um aumento de 25,4% no valor dos papéis, que fecharam a 29,50 reais na quarta.

Segundo a Brascan, as duas únicas empresas que apresentariam um desempenho abaixo do mercado ("underperform") seriam a Celesc, com valor-alvo de 41,06 reais e aumento de apenas 9,2% no preço das ações, e a Eletrobrás - considerada muito dependente de decisões políticas governamentais -, com valor-alvo de 34,26 reais e uma alta de 11%.

Acompanhe tudo sobre:Açõesbolsas-de-valoresCPFLEmpresasEmpresas abertasEmpresas brasileirasEnergiaEnergia elétricaServiços

Mais de Mercados

Cenário é potencialmente o mais perigoso desde a 2ª Guerra, diz Jamie Dimon, CEO do J.P. Morgan

Bancos abrem temporada de balanços em queda nos EUA; Wells Fargo despenca 7%

Ibovespa sobe pelo 10º pregão seguido e fecha próximo dos 129 mil pontos

Balanços de bancos americanos, PPI dos EUA e pesquisa de serviços do Brasil: o que move o mercado

Mais na Exame