Invest

Bolsas da Europa fecham em alta e Frankfurt e Paris renovam recordes; H&M salta 15%

Varejista de moda disparou com resultado trimestral acima do esperado

H&M: varejista de moda disparou com resultado trimestral acima do esperado

H&M: varejista de moda disparou com resultado trimestral acima do esperado

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 27 de março de 2024 às 16h19.

Última atualização em 27 de março de 2024 às 16h33.

Os mercados acionários da Europa encerraram a sessão em alta, com Frankfurt como destaque ao prolongar a sequência de fechamentos em máximas recordes. Paris perdeu fôlego no fim do pregão, mas também renovou sua máxima histórica de fechamento.

Em Madri, o Ibex superou os 11 mil pontos, o que não ocorria desde 2007, segundo o jornal Expansión. O clima continuou embalado por dados regionais, como o que apontou melhora acima do esperado do sentimento na zona do euro. O ambiente mais promissor também tem sido retratado nos balanços. A varejista de moda Hennes & Mauritz (H&M) disparou com resultado trimestral acima do esperado.

Em Frankfurt, o DAX subiu 0,49%, com o índice referencial alemão atingindo a marca inédita de 18.475,06 pontos no fechamento. Na máxima intradiária, o índice marcou 18.511,17 pontos. Em Londres o índice FTSE 100 encerrou com variação de 0,01%, aos 7.931,98 pontos. O CAC 40, de Paris, avançou 0,25%, aos 8.204,81 pontos, patamar recorde, desacelerando da máxima histórica intradiária de 8.230,38 pontos registrada mais cedo. As cotações são preliminares.

O índice de sentimento econômico da zona do euro subiu acima do esperado, de 95,5 em fevereiro a 96,3 em março, segundo a Comissão Europeia. No Reino Unido, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) avaliou que o cenário econômico melhorou desde dezembro de 2023, mas alertou que alguns riscos para a estabilidade financeira global têm aumentado, em relatório trimestral divulgado hoje. Entre eles, o banco central destacou a distorção nos preços de ativos de capital privado, que podem sofrer uma correção "acentuada" e ampliar spreads de crédito.

Entre as ações individuais, destaque para a Hennes & Mauritz (H&M), cuja ação saltou 15,2% em Estocolmo. A empresa sueca afirmou que suas coleções de Primavera foram bem recebidas, ampliando as vendas a partir de fevereiro. O início de ano otimista foi aplaudido pelos investidores, que procuravam sinais de recuperação na H&M sob o comando do novo CEO, Daniel Ervér. Nos três meses encerrados em 29 de fevereiro, o lucro líquido da empresa foi de 1,21 bilhão de coroas suecas, equivalente a cerca de US$ 114 milhões, acima dos 541 milhões de coroas suecas do ano anterior.

Os demais mercados da região também acompanharam o desempenho positivo. O Ibex 35, de Madri, subiu 1,09%, aos 11.111,30 pontos com a Inditex, proprietária da Zara, entre as cinco principais altas percentuais, após avançar 2,30%.

O PSI 20, de Lisboa, fechou com alta de 0,88%, aos 6.276,69 pontos. Em Milão, o FTSE MIB avançou 0,21%, aos 34.759,69 pontos.

Acompanhe tudo sobre:Europabolsas-de-valores

Mais de Invest

Enchentes no RS: governo prorroga o prazo de pagamento do IPVA 2024

Falas de nova CEO da Petrobras acalmam o mercado, mas desconfiança permanece entre analistas

Petrobras (PETR4) não segura Ibovespa, que opera na mínima do ano

Imposto de Renda 2024: quem ainda não declarou pode receber restituição maior

Mais na Exame