Invest

Quanto rende R$ 1 milhão a 120% do CDI?

A rentabilidade do CDI é determinada pela média das taxas de juros dos empréstimos interbancários diários

Flexibilidade e liquidez são pontos positivos a serem considerados (Twomeows/Getty Images)

Flexibilidade e liquidez são pontos positivos a serem considerados (Twomeows/Getty Images)

Publicado em 12 de junho de 2024 às 17h44.

Última atualização em 18 de junho de 2024 às 14h31.

Investir no Certificado de Depósito Interbancário (CDI) é uma das opções mais populares para quem busca segurança e rentabilidade no mercado financeiro brasileiro. Mas quanto rende R$ 1 milhão aplicado a 120% do CDI? Neste artigo, vamos detalhar o rendimento esperado para esse tipo de investimento.

O que é CDI?

O CDI, ou Certificado de Depósito Interbancário, é uma taxa de referência para empréstimos entre bancos. Sua taxa é muito próxima da Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira, e é amplamente utilizada como referência para diversos tipos de investimentos de renda fixa.

Como calcular o rendimento a 120% do CDI

Para calcular o rendimento de R$ 1 milhão a 120% do CDI, é necessário conhecer a taxa do CDI vigente. Em 2024, vamos considerar uma taxa do CDI anual de 11%. Com isso, o rendimento anual de um investimento a 100% do CDI seria de 11%. Para um investimento a 120% do CDI, a conta é a seguinte:

  1. Calculando a taxa a 120% do CDI:
    • 11% (taxa CDI anual) * 1,20 (120%) = 13,20%
  2. Calculando o rendimento bruto:
    • R$ 1.000.000 * 13,20% = R$ 132.000

Portanto, o rendimento bruto anual de R$ 1 milhão a 120% do CDI seria de R$ 132.000.

Considerações sobre impostos

Os rendimentos de investimentos em CDI estão sujeitos à tabela regressiva do Imposto de Renda. A alíquota de imposto varia conforme o período de aplicação:

  • Até 180 dias: 22,5%
  • De 181 a 360 dias: 20%
  • De 361 a 720 dias: 17,5%
  • Acima de 720 dias: 15%

Para um investimento com prazo acima de 720 dias, a alíquota de imposto é de 15%. Portanto, o rendimento líquido seria:

  • Rendimento líquido:
    • R$ 132.000 - (R$ 132.000 * 15%) = R$ 112.200

Qual a rentabilidade do CDI?

A rentabilidade do CDI é determinada pela média das taxas de juros dos empréstimos interbancários diários, geralmente próxima à taxa Selic. Essa taxa serve como referência para medir o desempenho de diversos investimentos de renda fixa, como CDBs, LCIs e fundos de renda fixa.

Comparando com outras opções de investimento

Investir a 120% do CDI pode ser muito atrativo, especialmente quando comparado a outras opções de renda fixa, como a poupança, que tem rendimento bem inferior. A taxa de rendimento da poupança, atualmente, é de 6,17% ao ano.

CDB ou CDI? Qual escolher?

A escolha entre investir em CDBs ou utilizar produtos atrelados ao CDI depende do perfil do investidor e dos objetivos financeiros. O CDB é indicado para quem busca uma aplicação segura com rentabilidade previsível, garantida pelo FGC. Por outro lado, o CDI serve como uma taxa de referência, e investir em produtos que seguem o CDI é vantajoso para quem deseja acompanhar a variação dos juros de mercado.

Vale a pena investir a 120% do CDI?

Investir a 120% do CDI é uma excelente opção para quem busca segurança e um rendimento superior ao da maioria dos produtos de renda fixa tradicionais. Além disso, a flexibilidade e a liquidez desse tipo de investimento são pontos positivos a serem considerados.

Por que é importante você entender sobre CDI

Investir R$ 1 milhão a 120% do CDI oferece um rendimento atrativo e seguro, tornando-se uma opção interessante para investidores que buscam maximizar seus ganhos com baixo risco. Para mais informações sobre investimentos e finanças pessoais, visite a seção de investimentos da Revista Exame.

Acompanhe tudo sobre:CDIGuia de Investimentos

Mais de Invest

Hapvida (HAPV3) vai investir até R$ 600 milhões em novos hospitais em SP e RJ

Ministério da Justiça realiza leilão de 54 quilos de ouro; veja como participar

5 frases que todo investidor precisa saber

"O mundo está passando por um processo grande de transformação", diz André Leite, CIO da TAG

Mais na Exame