Startup reduz pegada de carbono de clientes com turbina inovadora

Empresa com sede no interior gaúcho promete economia de energia de 20% nos primeiros cinco anos
Energia elétrica: startup promete economia de até 20% na conta de luz (Agência/Getty Images)
Energia elétrica: startup promete economia de até 20% na conta de luz (Agência/Getty Images)
R
RedaçãoPublicado em 11/08/2021 às 18:23.

Dois anos trabalhando sozinho em uma ideia. Esse foi o começo da trajetória empreendedora de Júlio Vieira, fundador da Prosumir, fundada em 2014 e com sede em Cachoeirinha, no Rio Grande do Sul. Foi somente naquele ano, quando ganhou outros integrantes, que a startup começou a ganhar projeção.

Antes de criar a Prosumir, Vieira já tinha anos de experiência projetando grandes turbinas para termelétricas e, em um determinado momento, percebeu que existia um “gap” em relação a oportunidades de menor geração de energia em indústrias que utilizam vapor.

“Uma de nossas soluções, a Turbina Redutora de Pressão, é basicamente uma microturbina que visa substituir as válvulas redutoras de pressão que causam desperdício energético. Assim, reduzimos os custos com energia elétrica, aumentamos a eficiência energética e diminuímos o impacto ambiental”, afirma.

Segundo a startup, os clientes podem economizar até 20% em energia elétrica e, com isso, reduzir a pegada de carbono. Atualmente, seus clientes são companhias como Ambev e Louis Dreyfus Company (LDC).

prosumir

Equipe da Prosumir: solução premiada para reduzir a pegada de carbono (Prosumir/Divulgação)

Desafios e conquistas

Segundo Vieira, os principais desafios enfrentados pela startup até hoje foram “as tradicionais barreiras de entrada envolvendo o desenvolvimento de tecnologias mais robustas, como são as turbinas”. “Na etapa inicial de desenvolvimento é difícil levantar recursos para operacionalizar a empresa”, afirma o empreendedor. “Hoje existe um foco muito grande em startups mais digitais e escaláveis, e competir com elas para obtenção de recursos não é uma tarefa simples.”

Apesar dessa dificuldade, a Prosumir encontrou uma alternativa via crowdfunding, quando captou mais de 2,6 milhões de reais para operacionalizar o negócio.

Ao longo dos cinco primeiros anos de vida, a startup comemora alguns prêmios, como “Top 100 Energy Startups of the Year” (2020), primeiro lugar na categoria “Energy Techs” do “Top 100 Open Startups” (2016, 2017, 2018 e 2019), e a entrada no programa Scale-Up da Endeavor, em 2018.

“Nossas conquistas são construídas todo dia com a participação de todos da equipe”, reforça Vieira. Atualmente a empresa tem 15 funcionários.

Além do aporte via crowdfunding, a Prosumir foi selecionada em projetos como o P&D Aneel, totalizando mais de 1,4 milhão de reais em projetos de subvenção.

Modelo de negócios

Entre 2018 e 2019, a startup cresceu mais de 100%, mas em 2020, afetada pela crise, viu seu faturamento ser comprometido. Em contrapartida, o ano de 2021 começou de forma positiva, segundo Vieira, e a empresa já faturou até aqui mais de 1 milhão de reais.

“Temos boas perspectivas para o ano, onde estamos buscando manter o padrão de crescimento de 100% ao ano, considerando o faturamento de 2019.”

Agora, a Prosumir procura viabilizar sua TRP através de um modelo de performance, no qual os clientes têm custo zero para obter a turbina. “A Prosumir capta recursos específicos para a fabricação da turbina com investidores. Ela faz a instalação e, após a entrada em operação, recebe mensalmente uma parcela da economia gerada, até a amortização dos investimentos”, detalha Vieira.

“Normalmente conseguimos reduzir em 20% os custos com energia durante os primeiros cinco anos, e ao final desse período, nossos clientes podem renovar o contrato de locação com economias consideravelmente maiores.”