Conservador grego diz que tentará formar governo sem eleição

"Pedirei uma reunião com a presidente do parlamento para examinar a possibilidade de formar um governo sem concorrer a eleições", disse Meimarakis

Atenas, 21 ago - O presidente do partido conservador grego Nova Democracia, Vangelis Meimarakis, afirmou nesta sexta-feira que tentará formar um governo, após a renúncia do primeiro-ministro, Alexis Tsipras, para evitar a convocação de eleições antecipadas.

"Pedirei uma reunião com a presidente do parlamento para examinar, junto com os demais partidos, a possibilidade de formar um governo sem concorrer a eleições", disse Meimarakis em uma breve reunião com o presidente da República, Prokopis Pavlopoulos, no palácio presidencial.

Após receber hoje o mandato de constituir um Executivo através de um e-mail, Meimarakis se reuniu com Pavlopoulos para obter o mandato de forma oficial.

"Vivemos uma situação política sem precedentes e acredito que, embora os líderes políticos representem a totalidade dos deputados de seu partido, cada deputado deve ter o direito de pronunciar-se", declarou Meimarakis na saída do palácio presidencial.

O líder do Nova Democracia acrescentou que tentará a formação de um governo que tenha um primeiro-ministro procedente do Syriza - "outro que não seja Tsipras, pois ele não quer" -, que contará com o apoio de outros partidos.

Meimarakis ressaltou que propõe como novo primeiro-ministro Yanis Dragasakis, o até agora vice-primeiro-ministro, porque "conhece os temas econômicos e tem uma grande capacidade de colaborar".

"Se Tsipras não confia nele, que proponha outro primeiro-ministro", completou Meimarakis.

O líder conservador expressou ainda seu desacordo com a convocação de eleições e destacou que são "o último recurso e não ajudam o país".

Meimarakis tem a sua disposição um prazo de três dias para empreender consultas com outros partidos e formar um governo que possa receber o voto de confiança do parlamento.

Perguntado se esgotará este prazo, Meimarakis respondeu que "dependerá dos resultados das reuniões" com os demais líderes políticos.

Se ao vencimento deste prazo não houver a formação de um governo, Pavlopoulos entregará o mesmo mandato a Panayotis Lafazanis, o líder de Unidade Popular, o novo partido nascido hoje da cisão do Syriza.

Com seus 25 deputados, o Unidade Popular se transformou na terceira força política do país, superando os 17 deputados do partido neonazista Aurora Dourada. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.